Quatro erros a evitar numa entrevista de emprego

É fundamental fazer uma reciclagem das competências.

Reciclar competências. É o principal conselho de Álvaro Fernández, director-geral da Michael Page em Portugal, para quem está à procura de emprego. Mesmo que muitas das aptidões não tenham sido postas em prática em postos de trabalho anteriores, é indispensável que estejam operacionais quando se está à procura de um novo emprego.

1. Nunca mentir 
"Se há uma coisa que invalida uma candidatura é a falta de sinceridade", diz prontamente o responsável da empresa de recrutamento. Isto porque as informações que se dão tanto na entrevista como no currículo são confirmadas e, caso se identifiquem discrepâncias, "essa pessoa é excluída do processo". Também é proibido exagerar e dizer, por exemplo, que se tem um nível muito elevado de francês, mas depois não se consegue manter uma conversa. "Se a pessoa mente nisso, que garantias tenho de que não mentiu no resto do currículo?", questiona Álvaro Fernández.

2. Não saber exemplificar como geriu ‘crises' em ocupações anteriores 
Álvaro Fernández diz que é muito importante ter bem preparado o historial das funções desempenhadas em empregos anteriores e saber exemplificar como se geriu momentos importantes ou difíceis no passado. "O objectivo é que quem faz a entrevista possa visualizar como é que essa pessoa vai enfrentar situações concretas nessa empresa", explica o responsável.

3. Não ir às entrevistas com as "línguas enferrujadas"
Também é importante treinar os idiomas com antecedência e não vale dizer, por exemplo, que se tem o inglês "muito enferrujado" mas que em duas semanas fica perfeito. "Se em duas semanas está perfeito creio que é importante que haja o esforço de o conseguir duas semanas antes da entrevista", sublinha Álvaro Fernández.

4. Fazer uma reciclagem pessoal
A partir do momento em que se fica sem emprego, é fundamental "refrescar" competências. Mesmo que não se apliquem alguns conhecimentos num emprego onde se está há muito tempo, convém não os deixar ‘cair em esquecimento'. O director-geral da Michael Page em Portugal recomenda uma reciclagem das competências, com o objectivo de se "parecer uma pessoa com muitas capacidades mesmo que não tenham sido aplicadas no trabalho anterior".

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 23:01 | comentar | favorito