23
Mar 14

Máquina fotográfica que foi à lua vendida por 660 mil euros

A Hasselblad foi vendida 725% acima da base de licitação num leilão organizado pela galeria austríaca WestLicht.

A WestLicht, galeria austríaca especializada no universo da fotografia, leiloou por 660 mil euros uma máquina fotográfica Hasselblad, a única no mundo que tirou fotografias na lua durante uma das missões norte-americanas.

A máquina fotográfica foi usada pelo astronauta norte-americano Jim Irwin (1930-1991) na missão Apollo 15, em 1971, e tinha um preço base no leilão de 80 mil euros. A máquina tirou um total de 299 fotografias da superfície da lua durante essa missão.

Segundo informou a galeria em comunicado, o comprador da máquina é o empresário japonês Terukazu Fujisawa, fundador da cadeia de eletrodomésticos Yodobashi Camera. A máquina será agora exposta no seu museu privado.

De acordo com o mesmo comunicado, o elevado preço pago por esta Hasselblad "demonstra o incessante fascínio com a chegada à lua". "Creio que a máquina recebeu o preço [adequado] se se tiver em conta a história. Nenhum outro aparelho esteve na lua e voltou", sublinhou ainda Peter Coeln, director da galeria.

fonte:http://economico.sapo.pt/no

publicado por adm às 20:49 | comentar | favorito
04
Jan 14

Políticos são o grupo social em que os portugueses da diáspora menos confiam

O presidente da República, os ministros e os deputados são os três grupos sociais em que os portugueses que vivem fora de Portugal têm menos confiança, segundo os resultados preliminares de um novo estudo.

 

Mais de 1070 portugueses residentes em 59 países participaram no estudo "O Sistema Político-Partidário em Portugal visto pela Diáspora Portuguesa", realizado por André Corrêa d'Almeida, professor adjunto da Universidade Columbia, nos Estados Unidos, e diretor executivo do The Earth Institute, e foi realizado no âmbito da Sustainable Development Solutions Newtwok, uma iniciativa da Organização das Nações Unidas que apoia soluções de desenvolvimento sustentável.

O investigador explica que "esta iniciativa tem como fim contribuir para a modernização do sistema político-partidário em Portugal" e que é um "contributo para uma reflexão 40 anos após o 25 de Abril."

André diz que as conclusões mais relevantes dizem respeito à "prioridade para alteração de aspetos institucionais existentes e novas reformas" e aos "níveis de confiança nos diferentes agentes sociopolíticos."

O inquérito avaliou em que grupos sociais os participantes mais confiavam.

Em primeiro lugar, com cerca de 80% de aprovação, surge a família, seguida dos cientistas.

Nos últimos três lugares, com menos de 30% de aprovação, estão o Presidente da República, os ministros e, por fim, os deputados.

Outra questão, cujos resultados foram agora divulgados, diz respeito às mudanças políticas que mais beneficiariam o pais.

Os participantes decidiram que, em primeiro lugar, se deviam aumentar as penalizações por más decisões políticas, e, logo depois, que deviam ser criadas novas entidades reguladoras independentes e reformar todo o sistema democrático.

André Corrêa de Almeida diz que "numa altura em que se debate sobre o sistema político-partidário em Portugal, importa muito tornar presente na vida nacional a perspetiva da diáspora para que esta seja ainda mais participante ativa e direta."

O investigador defende que "a diáspora é também, hoje mais do que nunca, graças às novas redes sociais e aos novos meios de comunicação, um meio poderoso de perspetivar os problemas e os bloqueios do país por via quer do distanciamento e internacionalização de referências."

O autor garante que, até ao final de fevereiro, serão partilhadas outras duas partes do estudo.

"Seguir-se-á um período de partilha dos resultados completos com todos os deputados da Assembleia de República para que se possa recolher informação", explica ainda o investigador, adiantando que este período de consulta deve estar concluído no final de maio.

fonte:http://www.jn.pt/Pa

publicado por adm às 19:14 | comentar | favorito
08
Nov 13

Já imaginou ter um carro que só precisa ser abastecido uma vez a cada 100 anos?

Tório: A energia nuclear segura que pode alimentar o planeta. A preocupação de ficar sem carro antes de ficar sem combustível pode estar a chegar

Pode ser um conceito difícil de acreditar, mas a empresa Laser Power Systems é uma das que está a trabalhar nesta ideia, ao usar energia de baixa radioatividade provinda do tório, para criar motores eficientes que não precisam de reabastecimento. Já imaginou ter um carro que só precisa ser abastecido uma vez a cada 100 anos? Talvez até mais?

O tório é um dos materiais mais densos do planeta, descoberto no século XIX e nomeado em homenagem ao Deus nórdico «Thor», tem baixa radioatividade e contém 20 milhões de vezes mais energia numa pequena porção, que o petróleo em igual quantidade.

Um motor movido a tório seria autossuficiente durante uma vida inteira. Quer isto dizer que a preocupação não seria ficar sem combustível, mas antes ficar sem carro antes de este acabar.

No entanto, segundo disse o Dr. Charles Stevens, presidente da Laser Power Systems, ao «Mashable» estes veículos não serão globalmente comercializados antes das próximas duas décadas.

«Os carros não são o nosso interesse principal, a indústria automóvel não os compra», disse Stevens.

Segundo o doutor, a indústria automóvel está demasiado focada nos motores a gasolina e demorará um par de décadas até que a tecnologia do tório seja utilizada o suficiente noutras indústrias para que os produtores de automóveis lhe deem atenção. 

O objetivo da empresa é outro.«Nós estamos a desenvolver isto para «energizar» o mundo». 

O presidente da empresa quer criar uma turbina do tamanho de um ar condicionado que conseguirá fornecer energia mais forte e barata a restaurantes, hotéis, escritórios, até pequenas povoações em lugares remotos do planeta que ainda vivem sem eletricidade. 

Depois, em algum momento o tório poderia fornecer energia a casas particulares.

O presidente da LPS, entende, no entanto, o medo que este produto poderá causar às pessoas por se tratar de um elemento radioativo. O que Stevens chama de preocupações sem fundamento.

«A radiação que seria produzida por um destes produtos seria tão fraca que poderia ser selada por papel de alumínio doméstico. Há mais radiação num raio-x feito num dentista que neste caso», concluiu Stevens.


fonte:http://www.tvi24.iol.pt/

publicado por adm às 21:57 | comentar | favorito
28
Nov 12

Metade dos portugueses pensa comprar ou vender carro até maio

Metade dos portugueses pensa comprar ou vender carro nos próximos seis meses, conclui um estudo do portal de venda de automóveis Standvirtual realizado na semana passada.

O estudo passou por um inquérito junto dos utilizadores registados do portal sobre as suas intenções e preferências relacionadas com os automóveis e revelou que 53,85% dos inquiridos pretende comprar ou vender uma viatura nos próximos seis meses.

Os resultados deste estudo revelaram também que as marcas favoritas dos portugueses são a BMW (16,83%), Audi (12,98%), Mercedes-Benz (11,06%), Volkswagen (8,17%) e Porsche (4,33%). Por outro lado as viaturas que os portugueses afirmam conduzir habitualmente são Opel (11,06%), Volkswagen (10,58%), Renault (9,62%), Fiat (9,13%) e BMW (7,21%).

Quanto às cores, as preferências dos portugueses vão para o preto (56,25%), cinzento (16,35%), branco (13,94%), azul (6,25%) e vermelho (4,81%).

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 20:30 | comentar | favorito
21
Nov 12

Dá 60 mil euros por cadeiras de Ronaldo e Mourinh

Empresário de Singapura está disposto a desembolsar uma considerável quantia pela peça fabricada em Paredes

Um empresário de Singapura está disposto a pagar 60.000 euros pelas cadeiras desenvolvidas em Paredes para Cristiano Ronaldo e José Mourinho, no âmbito do projeto Duets.

Depois, uma empresária brasileira quer comprar a cadeira criada para Maria Bethânia e um banco português já manifestou interesse na cadeira desenhada para Mia Couto.

Fonte do projeto disse esta quarta-feira à Lusa que as propostas estão a ser apresentadas em jeito de pré-licitação no âmbito do leilão que se vai realizar no dia 30, em Lisboa, e cujas receitas reverterão para o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Nos casos do jogador e treinador portugueses ao serviço do Real de Madrid, a pré-licitação aponta para 30.000 euros cada.

O Museu do Fado, em Lisboa, também já manifestou interesse na cadeira concebida para Mariza.

António Guterres, que lidera aquele organismo das Nações Unidas, já confirmou a presença no leilão, no mesmo dia em que inaugura, em Paredes, um centro escolar.

O projeto Duets apresenta um conjunto de 11 cadeiras, incluindo uma desenvolvida para o Presidente da República, Cavaco Silva, que foi apresentada em julho no Palácio de Belém, em Lisboa.

A base de licitação de cada cadeira será de 5.000 euros.

No leilão estarão os exemplares desenvolvidos para Aníbal Cavaco Silva, Manoel de Oliveira, Eduardo Souto de Moura, José Ramos Horta, Luciano Benetton, Mia Couto, Mariza, Maria Bethânia, Zalmai, Cristiano Ronaldo e José Mourinho.

A organização do projeto, liderada pelo município de Paredes, convidou para o leilão personalidades ligadas à arte e empresários, para além dos designers e empresários que trabalharam no desenvolvimento e fabrico de cada exemplar.

No caso do Duets, a conceção estilística das peças foi desenvolvida por criativos prestigiados, nacionais e italianos, especificamente para cada uma das personalidades convidadas pela organização, respeitando a sua identidade, cabendo a execução das cadeiras a empresas de mobiliário de Paredes.

De cada cadeira foi realizada uma minissérie de cinco exemplares únicos, numerados e assinados. Um exemplar será para leilão, revertendo as verbas para o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

O segundo exemplar ficará para o criativo que concebeu a cadeira, o terceiro para a personalidade que o inspirou e o quarto para a empresa que o construiu. O quinto exemplar ficará para a autarquia de Paredes.

As peças puderam ser apreciadas em Paredes, de 14 de setembro a 18 de novembro, durante a exposição ¿Art on Chairs, um dos projetos do Polo de Design e Mobiliário.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/d

publicado por adm às 23:19 | comentar | favorito
13
Out 12

Água que nasce no Luso é bebida em 20 Países

Criada para explorar um recurso local através dos banhos termais, cujas virtudes terapêuticas foram apreciadas pela rainha D. Maria I, a Sociedade da Água de Luso vende hoje 16 milhões de litros por mês


Acomemorar em 2012 os 160 anos de existência, a Sociedade da Água de Luso (SAL) define-se hoje como uma "marca líder em inovação, quer ao nível da embalagem quer de produtos", afirma Nuno Pinto de Magalhães, director de comunicação e de relações internacionais.

Com sede na vila do Luso, concelho da Mealhada, na Região Centro, a empresa foi criada para explorar um recurso local através dos banhos termais do Luso, cujas virtudes terapêuticas "foram bem apreciadas pela rainha D. Maria I".

Só mais tarde começou a comercializar a água mineral natural do Luso engarrafada, refere o responsável. Este continua a ser o enfoque da empresa, quer para o mercado nacional quer para exportação. Paralelamente, foi constituída uma sociedade para gerir as termas, com "novas valências, para além do termalismo clássico".

Nos últimos anos, a SAL "tem acompanhado o desenvolvimento humano e tecnológico, tornando-se cada vez mais competitiva, tendo como objectivo principal a satisfação dos seus clientes e a preocupação constante com a formação e valorização dos seus recursos humanos, indispensáveis à manutenção e progresso futuro da empresa".

Actualmente, a empresa vende cerca de 16 milhões de litros de água por mês, segundo os dados de 2011. Exporta para mais de 20 países, entre os quais se destacam Angola, Suíça, Alemanha, França, Inglaterra, Estados Unidos da América e Canadá. O objectivo é, segundo Nuno Pinto de Magalhães, continuar a crescer: "Tornar esta linha de negócio com mais valor acrescentado, sendo a inovação de novos produtos um eixo determinante para o atingir".

O seu volume de negócios foi de 34,4 milhões de euros, em 2011. "Este ano certamente que o resultado vai ser afectado pela quebra de volume de vendas que, até ao final do primeiro semestre, representava cerca de 10%", diz o director.

Ao longo dos anos, a inovação tem sido uma aposta da marca. Entre os marcos mais importantes, Nuno Pinto de Magalhães destaca a criação de produtos como "a garrafa compactável, a Sport Luso, o gelo Luso e os lançamentos mundiais das Formas Luso, da Ritmo Luso e mais recentemente da Luso Fruta".

A preocupação da empresa com "a sustentabilidade quer ao nível da utilização do recurso natural quer do impacte ambiental das suas embalagens" é referida pelo responsável como fundamental e constitui um marco importante na sua história. Outro momento relevante foi a certificação. "É a única água no Mundo que é marca produto certificado segundo a Certif - Associação Portuguesa de Certificação", refere o director da empresa.

Nuno Pinto de Magalhães destaca ainda a preocupação da SAL com a comunidade onde está inserida, que se traduz "num intenso plano anual de-senvolvido pela Fundação Luso". Entre as várias iniciativas promovidas no âmbito desse programa, destaca a atribuição local e anual do Prémio de Empreendedorismo, o apoio à recuperação do trilho da água da Mata do Buçaco e a implementação de hortas pedagógicas com as crianças das escolas do 1º Ciclo do concelho da Mealhada.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/


publicado por adm às 20:45 | comentar | favorito

IVA: restaurantes ponderam encerrar WC como protesto

Os restaurantes e cafés estão a ponderar fechar as casas de banho ou então encerrar um dia ou mais ao público como forma de protesto contra o IVA.

O setor vai discutir essas medidas em plenário na próxima semana, segundo a associação AHRESP: «A situação é de desespero. Todas as formas de luta estão em cima da mesa: encerramos um dia, fechamos as casas de banho, penduramo-nos no arco da rua Augusta... o que for decidido será feito», disse à Lusa o secretário-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal AHRESP, José Manuel Esteves.

A versão preliminar da proposta de Orçamento do Estado para 2013 não prevê qualquer alteração na taxa de IVA, atualmente no valor máximo de 23%, que, segundo a AHRESP, ameaça a sobrevivência do setor.

A reunião do conselho nacional da associação vai ter lugar na próxima semana ou o mais tardar no início da semana seguinte, segundo José Manuel Esteves, para discutir com os associados formas de luta, pelo facto de não se prever qualquer alteração da taxa de IVA aplicada ao setor no próximo ano.

«Em novembro é pago o terceiro trimestre de IVA, mas as microempresas não o vão liquidar porque não têm dinheiro, e aí o ministro das Finanças vai aperceber-se do massacre que anda a fazer».

A AHRESP diz que no pagamento do segundo trimestre do IVA este ano, as microempresas do setor tiveram que pedir empréstimos para o fazer, mas neste momento não há mais património para empenhar: «Agora vamos assistir ao não pagamento do imposto ao Estado, ao encerrar de empresas e ao desemprego de trabalhadores».

Os empresários do setor preparam-se ainda para no próximo dia 24 «encher» as galerias da Assembleia da República na discussão da petição sobre o IVA promovida pela associação.

«Vamos todos de gravata preta porque isto é o nosso enterro», disse, acrescentando que os associados da AHRESP chegaram «ao limite da saturação, paciência e da resistência física, económica e social».

«Temos casos gravíssimos. De pessoas desesperadas. A partir de agora, não aceitamos mais que haja um Governo cego e mudo. Vamos exigir que o Governo assuma a responsabilidade pelo mau orçamento que está a fazer».

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 11:12 | comentar | favorito
11
Out 12

Menina de 11 anos notificada para pagar imposto de selo do carro de 2008

As Finanças notificaram uma menina de 11 anos, de Vizela, para uma audição prévia relacionada com o não-pagamento do chamado "imposto de selo" da sua pretensa viatura, referente ao ano de 2008.

"Eu compreendo que o Estado precisa de arranjar dinheiro seja de que maneira for, mas também nem tanto", ironizou Abílio Monteiro, pai da criança notificada.

No entanto, e no mesmo registo irónico, manifestou-se até disponível para pagar o selo e a multa, desde que o Estado lhe "devolva" a viatura em causa.

"Mas só se o carro valer a pena, se for um chaço velho não quero", acrescentou.

A filha de Abílio Monteiro chama-se Bruna Alexandra Sousa Monteiro, mas, conforme informação que recolheu na Repartição de Finanças de Vizela, a notificação teria como destinatário Bruno Alexandre Sousa Monteiro Nunes, residente na Reboleira, Amadora.

Mesmo com o reconhecimento do engano, a situação não ficou resolvida.

"A funcionária disse-me que ia tentar resolver, ficou com o meu contacto e estou à espera que me diga alguma coisa. "Às tantas, ainda vou ter de 'tirar um papel', que custa 3 euros, para entregar no notário", criticou.

Serralheiro mecânico, Abílio Monteiro confessou que ficou "de boca aberta" quando encontrou na caixa do correio uma carta das Finanças, dirigida à filha.

Uma criança que, em 2008, ano do não-pagamento do imposto de circulação, tinha apenas 7 anos.

"Com 7 anos e já dona de um carro, é obra. Confesso que nunca tinha visto", rematou.

fonte:http://www.jn.pt/Pa


publicado por adm às 22:13 | comentar | favorito
26
Set 12

Dos 593 supermercados estes são os mais baratos

Os supermercados Jumbo têm os preços mais baixos. A conclusão é da Deco, na edição de outubro da revista Deco/Proteste. A associação de defesa do consumidor analisou 593 superfícies comerciais espalhadas por todo o país, e descobriu que esta cadeia tem preços mais competitivos.

No âmbito deste estudo, a Deco recolheu e analisou quase 70 mil preços para três cabazes de compras: um com cem produtos que privilegia as marcas do fabricante e representa o consumo médio de uma família portuguesa, outro com 81 produtos para quem escolhe o mais barato e um terceiro com 58 produtos apenas de marca própria.

«Para todas as compras do cabaz 1, temos apenas um vencedor (...) dos preços mais baixos: isolado na liderança, o Jumbo, na Amadora, arrasa os Mosqueteiros e o Continente que brilharam no estudo anterior», escreve.

Além do Jumbo da Amadora, também o Jumbo de Vila Nova de Gaia e o Jumbo de Rio Tinto apresentam preços mais baixos.

O segundo lugar é partilhado pelas cadeias Continente, Modelo Continente, Pão de Açúcar e Pingo Doce, caindo o Continente Bom Dia para a terceira posição. 

No cabaz 2, para quem escolhe o mais barato, o Jumbo faz-se acompanhar do regresso do Aldi ao primeiro lugar, mantendo as lojas Continente o segundo lugar. O Lidl, Continente Bom Dia e Ecomarché colam-se ao topo.

No cabaz três, as diferenças de preços não são muitas: «As marcas próprias das cadeias praticam um nível de preços muito semelhantes», conclui o estudo da associação, que destaca pela negativa os preços elevados da marca da cadeia Supercor, que são 6% mais caros do que os do Continente, do Continente Modelo e do Pingo Doce.

O estudo da Deco conclui ainda que as compras online perderam este ano terreno face a 2011 e estão entre «as mais caras».

Escolher bem permite poupar mais de 400 euros/ano

É preciso estratégia para conseguir poupar um volume considerável ao final do ano. É preciso escolher bem onde comprar.

«No confronto entre distritos, Vila Real, Santarém, Porto, Braga, Leiria, Castelo Branco e Beja são onde pode poupar mais. Se gastar uma média de 150 euros mensais e viver perto da Rua Agostinho Neto, em Lisboa, pode poupar 404 euros. Escolha um dos supermercados mais baratos: para poupar mais, entre no Continente Bom Dia e não no Japão, da Rua Morais Soares. Em Beja, para o mesmo cenário, a morada certa vale uma poupança de 500 euros», esclarece a Deco.

Ou seja, passar do supermercado mais caro para o mais barato, ao final do ano compensa. E bastante.

Os cartões cliente são uma arma para atrair compradores fidelizados e são, de facto, também uma boa opção para quem quer poupar na conta do supermercado, garante a Deco. 

Neste exame à lupa feito aos supermercados de todo o país, a Deco concluiu também que quem vive no interior pode ter uma fatura mais pesada a pagar. Em Viseu e Bragança, por exemplo, os preços são quase 10% superiores aos praticados em Lisboa ou no Porto.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 23:55 | comentar | favorito
28
Ago 12

Telemóveis: portugueses enviam 7 mil milhões de SMS

Número médio mensal de mensagens enviadas por utilizador foi de 320, o que corresponde a 11 mensagens por dia

Os portugueses enviaram de abril a junho deste ano cerca de 7 mil milhões de mensagens escritas via telemóvel, de acordo com dados do regulador do setor das telecomunicações (Anacom). O número corresponde a um aumento de 6,2% em relação ao mesmo período de 2011. 

Deste total, 21,5 milhões foram mensagens de valor acrescentado, ou seja, 0,3% do total de mensagens enviadas. 

O número médio mensal de mensagens enviadas por utilizador, no segundo trimestre, foi assim de 320, o que correspondendo a cerca de 11 mensagens por dia.

No caso das MMS, «a tendência é crescente, com os utilizadores do serviço a enviarem cerca de 39,3 milhões de MMS», mais 4,5% do que no período anterior. 

A Anacom revela ainda que, no período em análise, foram realizadas 2,2 mil milhões de chamadas, mais 1,5% do que no trimestre passado. Em média, por mês, foram realizadas 59 chamadas por estação móvel.

O volume de minutos de conversação nas redes móveis totalizou os 5,3 mil milhões, o que representa um aumento de 0,2% face primeiro trimestre.

Já o número de minutos de conversação foi, em média, de 144 por mês, menos 2 minutos face ao trimestre anterior, sendo que a duração média das chamadas foi de 146 segundos por chamada.

No que respeita à banda larga móvel, os utilizadores do serviço eram cerca de 4 milhões, refletindo uma diminuição de 1,1% em relação ao trimestre anterior e um aumento de 2% face há um ano.

Ao contrário do que é habitual, a utilização do mobile TV cresceu de forma expressiva. «O número de utilizadores do serviço ascendeu a 34,7 milhares, o que representa um aumento de 4 pontos percentuais face ao trimestre anterior. 

Este serviço contabilizou cerca de 2,5 milhões de sessões, o que corresponde a 24 sessões por utilizador por mês, quase o dobro das sessões registadas no 2T2011», remata a mesma fonte.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 20:39 | comentar | favorito