03
Jan 13

Suíça é o melhor país do mundo para se nascer em 2013

Portugal ocupa a 30ª posição no ranking.

A Suíça é o melhor lugar do mundo para se nascer. A conclusão é da revista 'The Economist' tendo em conta 11 indicadores socioeconómicos.

De acordo com o estudo, a Nigéria é o pior lugar onde uma pessoa poderia vir ao mundo em 2013. Os Estados Unidos, que lideravam o ranking num estudo semelhante em 1988, dividem agora a 16ª posição com a Alemanha.

Atrás da Suíça, que subiu 12 posições desde o último estudo, está a Austrália em segundo lugar, seguida pela Noruega, Suécia, Dinamarca, Singapura, Nova Zelândia, Holanda, Canadá e Hong Kong. O Brasil ocupa a 37ª posição.

Países com pequenas economias dominam as 10 primeiras posições ranking, e metade destes são europeus, mas apenas um faz parte da zona euro, a Holanda, que ocupa o oitavo lugar.

Assolados por uma grave crise económica, a Espanha encontra-se em 28º lugar, Portugal em 30º e a Grécia em 34º.

A The Economist analisou o nível de alfabetização, a expectativa de vida e o respeito pelos direitos humanos, entre outros indicadores.

Top 10 do ranking

 Suíça
 Austrália
 Noruega
4º Suécia
 Dinamarca
 Singapura
 Nova Zelândia
 Holanda
 Canadá
10º Hong Kong

Fonte: http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 22:43 | comentar | favorito
tags:
28
Dez 12

Prepare-se: tudo o que fica mais caro já em janeiro

Luz, gás, combustíveis, portagens, tabaco e comunicações devem aumentar

Novo ano, novos preços. Há muito tempo que é assim e 2013 não vai ser diferente. A partir de 1 de janeiro próximo, muitos são os produtos onde pode contar com um aumento. Saiba desde já o que o espera, para fazer contas à vida.

Na energia, começamos pela eletricidade, onde as tarifas vão subir 2,8% para as famílias. A atualização, proposta pelo regulador do setor, a ERSE, vai representar uma despesa acrescida de 1,24 euros por mês numa fatura média de cerca de 47 euros. Na tarifa social, para clientes economicamente vulneráveis, o aumento será de 1,3%, ou seja, de 30 cêntimos numa fatura mensal de 23 euros. 

Mas este aumento vai vigorar apenas durante três meses porque, devido à transição para o mercado liberalizado, as tarifas passam a ser revistas de três em três meses. Ou seja, em abril, julho e outubro, conte com novas subidas.

O mesmo vai acontecer com o gás natural, que fica 2,5% mais caro já no início do ano que vem. Em julho, as tarifas aumentaram 6,9%.

E já que falamos de energia, independentemente do que as tendências dos mercados e do preço do petróleo, os preços doscombustíveis nas bombas vão sofrer, pelo menos, o efeito de um aumento da carga fiscal, previsto no Orçamento do Estado para 2013. No documento, o Governo eleva a contribuição para o serviço rodoviário (CSR), integrado no Imposto Sobre Produtos Petrolíferos (ISP) em 1,10 euros por cada mil litros de gasolina e 2 euros por cada mil litros de gasóleo. O aumento por litro é de 0,1 e 0,2 cêntimos, respetivamente.

Quando andar de carro, além dos combustíveis, também as portagens vão ser mais caras: a subida ronda os 2,03%, de acordo com a fórmula de cálculo que resulta da taxa de inflação homóloga, divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística.

Mas se, em vez do automóvel, usar os transportes públicos para se locomover, os aumentos são outros. Os Ministérios das Finanças e da Economia e do Emprego fixaram em 0,9% o aumento médio dos títulos dos transportes, o valor estimado da inflação do próximo ano. Em 2012, o aumento médio dos transportes públicos foi de 5%.

Na alimentação, não se esperam grandes aumentos de preços em janeiro, pelo menos pela via fiscal, depois da alteração das taxas de IVA em vários produtos este ano. Mesmo o café não deverá registar aumentos na maioria dos pontos de venda, segundo a Associação Industrial e Comercial do Café (AICC) e, no que toca ao pão, também não há aumentos no horizonte, depois das atualizações registadas em setembro devido ao aumento das matérias-primas.

Fumar é um vício que sai caro à saúde e ao bolso. E em 2013, ainda mais, sobretudo para quem já, com o intuito de poupar, tinha trocado os maços pelo tabaco de enrolar. É aí que vai incidir o maior aumento, que deverá ser de um euro e meio. 

O aumento previsto para os maços de tabaco é bem menor, qualquer coisa como 10 cêntimos, na marca mais vendida. Ou seja, o maço passará dos 4,20 euros para os 4,30 euros. Mais caros vão ficar também os charutos e cigarrilhas, cuja taxa passa dos 15% para os 20%.

Na água, também não há um aumento que possa antecipar. As tarifas variam (e muito) de concelho para concelho e poucos anunciaram, até agora atualizações de preços. A maioria vai manter os preços.

Outro setor onde as tarifas vão subir é o das comunicações. A Vodafone vai aumentar os preços em 2% no início de fevereiro. TMN, Optimus e ZON anunciaram aumentos da mesma ordem.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 13:42 | comentar | favorito
tags:
27
Dez 12

Passagem de ano: programas grátis de Norte a Sul do país

A passagem de um ano de crise para outro ano de crise quer-se assim: sem custos. Por isso, aqui ficam as sugestões, de Norte a Sul de Portugal.

Lisboa: O Casino Lisboa tem entrada livre e promete festa e dança até de madrugada. Para animar a noite pode contar com Pedro Abrunhosa, Wanda Stuart, Aldo Lima e Paulino Coelho.

Também no Casino Estoril a festa vai ser de borla. Pelo palco vão passar os Cais Sodré Funk Connection, Space Cake, Boogie Nights e Amor Electro.

Margem Sul: Em Almada, a partir das 23 horas, a animação está por conta da banda residente do programa televisivo 5 para a Meia-Noite, David Antunes & Midnight Band. À meia-noite, pode contar com o espetáculo «Tejo mais Tejo», com de fogo-de-artifício projetado em Lisboa e Almada em simultâneo e de forma sincronizada. A banda do 5 para a Meia-Noite retoma depois a sua atuação , agora com a ajuda de Pedro Fernandes, um dos apresentadores do programa da RTP.

A sul do Tejo pode ainda contar com muitas atividades para a passagem de ano no troiaresort, organizado com as câmaras municipais de Setúbal e Grândola. A partir das 22h30, vai decorrer um programa de rádio, ao vivo, com os humoristas Guilherme Fonseca, Daniel Leitão e Joana Marques e, à meia-noite, brilha o fogo-de-artifício no Estuário do Sado.

A Baía de Sesimbra também vai ser palco de um fogo-de-artifício na passagem-de-ano.

Algarve: Em Portimão está marcada a festa a partir das 23h00, no Miradouro Dance Spot com o DJ Deelight, na Praia da Rocha. O fogo-de-artifício da meia-noite pode ser visto na zona ribeirinha de Portimão e na Praia da Rocha.

Também Quarteira tem planos para dar as boas-vindas ao Ano Novo. Antes do fogo-de-artifício na Praça do Mar, há música.

Em Tavira, a Praça da República enche-se de luzes, música e, a partir das 22h00, conta com a animação do DJ Pete Sleeve e da banda One Vision ¿ Tributo a Queen.

Porto: A Avenida dos Aliados é palco de um concerto e fogo-de-artifício. Os bares da baixa da cidade estarão abertos, com festas, muitas delas com entrada livre e há música na rua.

Aveiro: Aveiro entra em 2013 com uma festa no Rossio. A partir das 23 horas o grupo Os Ganda Malucos asseguram a música e à meia-noite junta-se o fogo-de-artifício. Daí para a frente, há DJ até ao fim da noite.

Beja: Nesta cidade alentejana, a festa começa no dia 29. Pela Praça da República passam Os Azeitonas, Virgem Suta, Fernando Alvim, António Raminhos, Serafim, Tango Paris, Caracol Blues, Xeque-Mate e Pentouse Golden Party, entre outros. Na noite de 31, poderá ver e ouvir Virgem Suta e aproveitar a New Year¿s Party com os DJ RitualBar, Karas e VillaClub.

Caminha: Aqui haverá música a noite toda e fogo-de-artifício à meia-noite. Na Rua Direita, os bares vão estar abertos e convidam para a festa.

Figueira da Foz: Aqui a festa arranca às 22h30 com o DJ Off-Ossman e Faraz. Uma hora depois, começa o Record Mini-Foguetes e, à meia-noite, aproveite o espetáculo piro-musical. Daí até às 6 da manhã, a música não vai parar.

Madeira: No Funchal, as Bandas Filarmónicas e Grupos Folclóricos tocam logo pela manhã na Baixa, e vão atuar até às 20 horas. Uma hora depois, começa o espetáculo «Noite de Passagem de Ano 2012/2013», com a Associação Orquestra, que fica até às 4 da manhã. Mas à meia-noite, todos vão parar para ver o espetáculo pirotécnico.

Açores: Ponta Delgada vai oferecer a «Festa Popular de Passagem de Ano», à 1:00h com música ambiente, iluminação arquitetural, a atuação da banda Lado Lunar e a música do DJ Hélder Cunha, nas Portas da Cidade.

Santarém: O Jardim da República oferece uma festa popular, com música de Pedro Melão, a partir das 22h00. O fogo-de-artifício é à meia-noite. Começa na antiga Escola Prática de Cavalaria, mas estende-se à Praça do Município e ao Jardim da República. Daí para a frente, a animação fica a cargo do DJ Calado.


fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt

publicado por adm às 10:42 | comentar | favorito
26
Dez 12

Prepare-se para 2013: vem aí o pior

Não é a primeira peça sobre a «enorme carga fiscal», e não descobrimos a pólvora, mas nesta altura faz sentido sistematizar tudo o que será 2013: mais impostos, menos rendimento disponível, e uma folga mensal com a diluição de metade dos subsídios, que tenta disfarçar o esforço fiscal. Saiba tudo o que o espera


Para tentar chegar à meta do défice, o Governo carrega na receita: em 2013 há ainda mais impostos para compensar o chumbo do Tribunal Constitucional no corte dos dois subsídios aos funcionários públicos e pensionistas (se é o seu caso, clique aqui) - resultado, o IRS sobe para todos.

O drama: os escalões de IRS

O número de escalões passa de 8 para 5: entre os 14,5% e os 48%. Só escapam os rendimentos mais baixos. Estima-se uma perda de rendimento na ordem dos 5 ou 6% ao ano. Ora o valor de um subsídio equivale a 7% do rendimento anual¿. Portanto, o que não perde de uma forma, perde doutra.

O drama (parte II): trabalhadores independentes

Para o caso dos recibos verdes, há um agravamento na retenção da fonte, que passa para 25%. O fisco passa ainda a sujeitar 75% a IRS.

E ainda falta a sobretaxa...

Mais 3,5% sob a forma de retenção na fonte, que carrega o agravamento do IRS.

Solidariedade à força, para quem ganha mais 

Acima dos 80 mil euros paga mais 2,5% de taxa de solidariedade; acima dos 250 mil outros 2,5%: no total, acima deste valor, o contribuinte paga 5%.

Ilusão: metade dos subsídios de férias e de Natal em duodécimos

No privado, os trabalhadores vão receber metade do subsídio de férias e de Natal diluído em 12 meses. A ideia é que o rendimento disponível mensal, mesmo com o aumento da carga fiscal, aumente ligeiramente. Mas a sensação é «ilusória», explica Luís Leon da Deloitte à AF: se fizer a conta aos 14 meses, que habitualmente recebe, verá que ganha menos.

Limites aos benefícios fiscais e deduções com habitação: ou seja, mais impostos

Há vários «patamares» tendo em conta o rendimento, mas no essencial é possível deduzir menos. Acima dos 80 mil não haverá lugar a deduções nem benefícios fiscais. E se antes era possível deduzir até 591 € com juros dos empréstimos à habitação, o limite máximo baixa para 296 €. 

Menos (claro!) nas deduções pessoais

As deduções pessoais também vão ser reduzidas: passam de 55% para 45% do Indexante dos Apoios Sociais (IAS), o que equivale a 419,22 €.

Atenção, há uma exceção: se juntar faturas pode deduzir

Será possível deduzir no 5% do IVA no IRS, com despesas em cabeleireiros, restaurantes e oficinas até ao limite de 250 €; mas para isso tem de gastar por mês 2300 €. 

Nem o almoço escapa!

O IRS volta a subir quando se fala em subsídio de refeição: agora é tributado a partir de 4,27 € (5,12 € em 2012). Quem recebe em ticket, vale ou cartão alimentação mantém o benefício fiscal.

Nem a doença, nem o desemprego...

Nem o subsídio de doença escapa: 5% de corte após 30 dias de ausência. Para o subsídio de desemprego, todos perdem 6%, mas o valor mínimo não pode ser inferior a 419,22 €.

Também se taxa o «capital»... e a poupança

A taxa sobre os rendimentos de capitais e mais-valias passa para 28% (está em 26,5%). Há também aumento da tributação das transferências para paraísos fiscais, com um imposto sobre transações financeiras: aqui a taxa sobe para 35%. Também há mais imposto de selo sobre imóveis acima de 1 milhão de euros e produtos de luxo (como carros de alta cilindrada), mas esses aumentos sentiram-se já este ano.

IMI sobe, mas tem travão

Para o aumento substancial do IMI, a subida será faseada até 2014. No caso dos agregados com rendimento sujeito a IRS inferior a 4898 €, há um travão: o IMI a pagar não pode aumentar mais de 75 €.

Mais uma razão para deixar de fumar: é cada vez mais caro

Proposta inicial foi aliviada, mas mesmo assim o preço de venda de todos os tabacos aumentou.

Bicicleta ou caminhada?

O imposto sobre produtos petrolíferos passa para 6,6 cêntimos/litro na gasolina e 8,9 cêntimos/litro no gasóleo.


fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 11:34 | comentar | favorito