Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Noticias do momento

Noticias do momento

11
Abr14

Problemas de origem levam cada vez mais carros novos à oficina

adm

Comprar um carro novo e, passados alguns meses, a marca recolher a viatura para resolver um problema. Vai acontecer a quase seis milhões e meio de automóveis da Toyota, 13 mil em Portugal, e a 500 mil da BMW, nos Estados Unidos e na China.

Esta semana, as duas construtoras identificaram problemas em alguns modelos das suas marcas. A japonesa detectou cinco problemas técnicos, que afectam 26 modelos automóveis. Já a alemã detectou um problema num parafuso que pode provocar a perda de potência nos motores de seis cilindros.

Situações destas não são novas: com cada vez maior frequência, há carros novos a ser chamados à oficina para resolver problemas de origem, dizem especialistas.

"O problema que se põe aqui é que os modelos, face à concorrência que têm, saem muito rapidamente das fábricas e, às vezes, há pequenos pormenores que ficam por testar a 300%", explica à Renascença o presidente da Automóvel Club de Portugal (ACP), Carlos Barbosa. "Mas, os grandes itens de segurança, são completamente operacionais e sem qualquer espécie de problema", assegura.

Para o presidente da ACP, a evolução técnica no sector automóvel leva a que estes problemas aconteçam mais vezes.

"Os carros têm cada vez mais electrónica dentro dos seus motores e dos seus habitáculos e é evidente que podem avariar mais do que os carros antigos, que não tinham nada disso", sustenta.

Consumidores atentos
Já para o director do Cepra – Centro de Formação Profissional da Reparação Automóvel, António Caldeira, estas chamadas à oficina estão relacionadas com "a atenção que os consumidores, nomeadamente através das várias associações, dão a determinada marca".

"O que em determinados modelos ou marcas nem sequer é relevado, noutras toma grande proporção", diz o especialista.

Voltando ao exemplo da Toyota, Caldeira explica que, em Portugal, "nunca foi reportado qualquer problema com os modelos em questão, sendo até provável que nunca viesse a ser reportado”.

Ainda assim, as "marcas, mesmo que se trate de um defeito apenas reportado por uma vez, preferem extrapolar a sua ocorrência a todos os carros vendidos".

"O aspecto positivo é que os consumidores ficam a saber que a preocupação dos fabricantes com as questões da segurança se sobrepõe à publicidade negativa que têm de enfrentar", remata.

 

fonte:http://rr.sapo.pt/in

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D