Mais de 98% dos emigrantes não votaram

A abstenção das comunidades portuguesas a residir no estrangeiro nas eleições para o Parlamento Europeu foi de 98,11%.

Apenas 1,89% dos inscritos no estrangeiro participaram nas eleições, de acordo com os resultados provisórios da Direcção Geral da Administração Interna. Faltam apurar os resultados de 15 dos 71 consulados.

Em 2014, a abstenção dos portugueses residentes no estrangeiro aumentou 0,31%. Nas eleições europeias de 2009, tinha sido de 97,8%.

Segundo o secretário de Estado das Comunidades um dos motivos que explica estes resultados é a “dificuldade de acessos aos locais de voto”. Para votar é necessário dirigir-se às missões diplomáticas, sendo que “a generalidade dos eleitores está longe” desses locais.

José Cesário considera também que “o Parlamento Europeu é um órgão que diz pouco” às comunidades portuguesas, lembrando ainda que “há um défice claro de cultura de participação política” entre os portugueses emigrados, o que resulta em tão elevadas taxas de abstenção.

Mas apontou ainda para um dado curioso. A participação eleitoral em comunidades muito distantes de Portugal, como na África do Sul e algumas zonas do Brasil, foi superior às da própria Europa.

fonte:http://rr.sapo.pt/in

publicado por adm às 20:15 | comentar | favorito