01
Ago 13

PSD sobe nas intenções de voto, PS desce

Apesar de continuar na liderança nas intenções de voto, o PS saiu penalizado no período de negociações com vista a um «compromisso de salvação nacional». Já o PSD subiu nas intenções de voto.

Enquanto decorriam as conversações tripartidas, o PS desceu ao nível das intenções de voto, de 34,6 por cento para 34,2 por cento, no último «Barómetro Político» da Marktest, no mês de julho. O PSD ficou na segunda posição, com 27,6 por cento das intenções de voto.

Seguiu-se a coligação CDU (10,8 por cento), Bloco de Esquerda (8,6 por cento) e finalmente o CDS-PP, parceiro de Governo, que apenas reuniu 5,2 por cento. Na sondagem, a opção votos em Branco/Outros obteve 13,6 por cento.

fonte:http://www.abola.pt/

publicado por adm às 21:48 | comentar | favorito
13
Jul 13

Popularidade de Portas e Passos em queda

A recente crise política não alterou a distribuição da intenção de voto dos portugueses, pelo menos até à data em que esta sondagem foi feita, entre sexta-feira passada e esta quarta-feira. Com uma crise a evoluir tão depressa, o estudo da Eurosondagem já foi feito depois de Passos Coelho e Paulo Portas terem chegado a um entendimento sobre uma possível remodelação mas ainda antes do discurso de Cavaco Silva ter sido percebido.

A variação do sentido de voto é pouco significativa, com o PS a manter uma votação projetada de 37%, doze pontos à frente do PSD, que também sofre uma ligeira variação de 0,2%. A CDU mantem-se destacada no terceiro lugar - como tem acontecido com a generalidade dos estudos de opinião -, com o fosso em relação ao CDS. A coligação liderada por Jerónimo Sousa alcança tem uma queda de 1% mas mantém, ainda assim, 12% das intenções de voto, quatro pontos a frente do CDS-PP.

O Bloco é o lanterna vermelha do barómetro, embora se mantenha com 8%, um resultado mais favorável que o obtido nas últimas legislativas.

A popularidade foi toda no mesmo sentido neste mês, com exceção dos juízes, que apresentam uma ligeira subida. De resto, Passos e Portas lideram as quebras de popularidade (com -3,2%), sendo seguidos por Cavaco Silva e Jerónimo Sousa.



fonte: http://expresso.sapo.pt/

publicado por adm às 11:30 | comentar | favorito
tags:
12
Jul 13

PS supera PSD em 12% nas intenções de voto

O PS continua a liderar as intenções de voto dos portugueses, com 37% das intenções de voto, seguido pelo PSD com 25%.

De acordo com o mais recente barómetro da Eurosondagem para o Expresso, a CDU mantêm-se em terceiro, apesar da quebra de 1% em relação à anterior sondagem. Em quarto lugar mantêm-se em o CDS-PP com 8%. O Bloco de Esquerda ocupa o último lugar nas intenções de voto, também com 8%.

Por último, CDS-PP e Bloco obtêm as mesmas intenções de voto dos eleitores com 8%.

A sondagem foi realizada entre a passada sexta-feira e esta quarta-feira, numa altura em que a crise política estava ao rubro.

Em relação à popularidade, António José Seguro lidera as preferências dos portugueses com 21,7% dos votos, menos 0,7%. Paulo Portas segue em segundo com 9,9%, mas sofreu uma quebra de 3,2%.

O líder da coligação CDU-PCP fecha o pódio com 7%, seguido dos coordenadores do Bloco de Esquerda - Catarina Martins e João Semedo - com 0,1%.

A fotografia do Presidente da República não sai bem desta crise política: Cavaco Silva caiu 2,8% para os 5,5%. Também o primeiro-ministro afunda-se mais nos níveis de popularidade e desce 3,2% para os -13,2%.

Em relação às instituições, os portugueses dão negativa a todas. A Assembleia da República situa-se nos -4,9%; O Ministério Público desce para os 10,1%, os juízes caiem para os -16,1% e o Governo afunda-se -1,6% para os 27,4%.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 22:46 | comentar | favorito
08
Jul 13

Barómetro: Maioria dos portugueses só quer eleições em 2015

A maioria dos portugueses defende que a realização de eleições só deve acontecer em 2015, tal como está previsto no calendário eleitoral, segundo o “i”.

O jornal publica esta segunda-feira uma sondagem realizada pela Pitagórica e que foi realizada entre os dias 28 de Junho e 2 de Julho, dia marcado pelo pedido de demissão de Paulo Portas. A sondagem refere que 65,5% dos inquiridos não quer eleições neste momento, defendendo que só deverão realizar-se em 2015, tal como o previsto.

 

Questionados sobre qual seria a coligação preferível em caso de eleições antecipadas, 17% dos 503 entrevistados considera que seria o PS/PSD, mas a maior fatia (30,2%) não respondeu. Mais de 56% rejeita a viabilidade de uma coligação de esquerda e 59% considera que a actual coligação não é viável. Ainda assim, 48,2% considera que se a coligação PSD/CDS tiver maus resultados nas eleições autárquicas, que decorrem em Setembro, o Governo não deve demitir-se.

 

Esta sondagem foi realizada nos dias que antecederam a crise política, tendo apenas um dia reflectido o pedido de demissão de Paulo Portas. Contudo, não está espelhado os desenvolvimentos dos últimos dias que obrigaram Passos Coelho e Paulo Portas a entenderem-se. No sábado, o primeiro-ministro anunciou que PSD e CDS chegaram a um acordo que viabiliza a estabilidade governativa do país. Paulo Portas será o vice-primeiro-ministro com a responsabilidade de coordenação económica, negociar com a troika e a reforma do Estado.

fonte,http://www.jornaldenegocios.pt/

publicado por adm às 20:23 | comentar | favorito