Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Noticias do momento

Noticias do momento

18
Mar14

Cobrança de portagens nas ex-Scut alterada até ao final do ano

adm

O sistema de cobrança de portagens nas ex-Scut, nomeadamente na A25 que liga Aveiro a Vilar Formoso, vai ser alterado até ao final deste ano. A garantia foi dada pelo secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, numa reunião com os presidentes das câmaras de Aveiro, Viseu e Guarda, que constituem a designada Plataforma A25.

 

"A garantia que tivemos do secretário de Estado é que até ao fim do ano estará implantado um novo sistema de portagens em Portugal que irá permitir pagar só o troço andado, isto é, um novo sistema de monitorização que permite medir a entrada e a saída de automóveis na autoestrada e pagar um determinado montante por quilómetro. Foi uma boa notícia", afirmou, esta terça-feira, o presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques.

"Estes pórticos que hoje temos são claramente injustos porque muitas vezes para percorrer um pequeno troço paga-se uma fortuna que não é proporcional aos quilómetros andados", acrescentou.

O autarca diz não saber se vão ser colocados pórticos em todas as entradas e saídas da auto estrada. "Não entrámos em detalhes técnicos", declarou.

fonte:http://www.jn.pt/P

12
Mar14

CTT vai emitir cartões de crédito a partir deste Verão

adm

Novo produto avança independentemente da criação do banco postal.

Os CTT prevêem iniciar a emissão de cartões de crédito a partir do próximo Verão.

"Existem produtos que podem ser oferecidos pelos CTT sem a necessidade de criar o banco [postal], como é o caso da actividade de intermediação de crédito ao consumo/cartões de crédito, prevista para começar no Verão de 2014", revela o comunicado dos CTT referente aos resultados do exercício de 2013, hoje enviado à CMVM - Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Quanto ao banco postal, a administração liderada por Francisco Lacerda relembra que a empresa tem 12 meses para decidir prosseguir com a concretização desse projecto, a partir da autorização concedida pelo Banco de Portugal, a 27 de Novembro do ano passado.

"Este prazo, mediante solicitação, poderá ser prorrogado por mais doze meses. Esta opção poderá ser avaliada em 2014 no âmbito das iniciativas previstas para a expansão dos serviços financeiros dos CTT", adianta o mesmo comunicado.

Em 2013, os serviços financeiros renderam 60,9 milhões de euros aos CTT. "Os rendimentos registaram no último trimestre do ano um crescimento de 19,1% relativamente ao período homólogo do ano anterior, evidenciando uma clara aceleração do ritmo de crescimento dos rendimentos devido à renegociação dos acordos com os parceiros com impacto total neste trimestre e ao forte crescimento da colocação de produtos de poupança", explica a administração dos CTT no referido documento.

A área de poupança e seguros foi a grande responsável por este resultado positivo, devido ao forte crescimento verificado nos seguros de capitalização (52% nos valores colocados e 56% na receita) e nos títulos de dívida pública (340% nos valores colocados e 199% na receita).

Também o pagamento de impostos registou uma subida de 7,6% nas transacções face a 2012, um crescimento que não se verificava desde 2006.

 

 fonte:http://economico.sapo.pt/

03
Mar14

Portugueses estão a consumir mais eletricidade

adm

O consumo de eletricidade aumentou 3,5% em fevereiro, em comparação com o mesmo mês do ano passado.

Os dados, agora divulgados pela REN - Redes Energéticas Nacionais, indicam ainda que a variação acumulada dos dois primeiros meses do ano é de 2,8%.

"As condições excecionais verificadas em janeiro, tanto para a produção hídrica como para a eólica, voltaram a repetir-se ao longo de todo o mês permitindo abastecer 84% do consumo com produção renovável", sublinha a REN em comunicado a que o Expresso teve acesso.

Para o período de janeiro e fevereiro, o conjunto da produção renovável abasteceu 81% do consumo, com a hídrica a representar 46%, a eólica 30%, a biomassa 4% e a fotovoltaica 0,5%. A produção a carvão abasteceu apenas 9% do consumo e a produção a gás natural outros 9%.

Em fevereiro Portugal esteve "fortemente" exportador, segundo a REN, com o saldo acumulado de janeiro e fevereiro a totalizar 1437 gigawatts hora (GWh), representando 16% do consumo. Estes valores, conclui a REN, são também os mais elevados registados até hoje no sistema eletroproduto nacional.



fonte: http://expresso.sapo.pt

25
Fev14

Exportações de bens e serviços sobem quase 6% em 2013

adm

As exportações de bens e serviços portugueses cresceram 5,7% no ano passado, face a igual período de 2012, para 68,2 mil milhões de euros. São dados da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, e o presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Pedro Reis, vão fazer esta terça-feira um balanço destes dados, que têm como base a primeira versão global de números do Banco de Portugal.

Em 2013, os bens representaram 69,9% das exportações totais, com uma variação de 4,9% face a 2012, enquanto os serviços tiveram um peso de 30,1% e um aumento de 7,7%, "tendo contribuído com 3,4 pontos percentuais para o crescimento total, equivalente a uma participação de 39,8% no aumento das vendas externas", de acordo com a AICEP.

As exportações para a União Europeia subiram 5% e para os extracomunitários avançaram 7,2%, com os países fora do universo da União Europeia (UE) a representarem 31% das vendas totais ao exterior.

As vendas para os países extracomunitários contribuíram com 2,2 pontos percentuais para o crescimento global das exportações, ou seja, "38,8% do aumento das exportações teve origem nos mercados extra UE".

Espanha foi o principal cliente português, com uma quota de 20%, seguida da França (12,4%), Alemanha (11%) e Reino Unido (8,3%), destino de missões de captação de investimento que o ministro da Economia empreendeu nos últimos meses.

Angola e Estados Unidos ocuparam o quinto e sexto lugar, respectivamente, assumindo a liderança nos mercados no universo fora da União Europeia, com 6,6% e 4,7%.

De acordo com os dados, dos 15 principais mercados de exportação, sete são fora da União Europeia.

Dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) apontam que havia 22.685 empresas portuguesas a exportar no ano passado, mais 4.886 que três anos antes.

fonte:http://rr.sapo.pt/i

13
Fev14

Contratos com EDP poderão ser feitos nos CTT

adm

Os portugueses vão poder a partir de março fazer contratos com a EDP para o mercado liberalizado de eletricidade e gás nas 624 lojas dos Correios existentes no país, segundo um protocolo assinado esta quarta-feira entre as duas empresas.

A parceria comercial foi hoje assinada em Lisboa e permite a realização de novos contratos de eletricidade e/ou gás com a EDP Comercial, assim como o pagamento das faturas na rede de lojas CTT em Portugal.

O presidente dos CTT, Francisco Lacerda, destacou a "rede única" que os Correios possuem e sublinhou que a atividade nas lojas visa angariar clientes para o mercado liberalizado de energia.

Por sua vez, o presidente executivo da EDP, António Mexia, colocou o enfoque na "proximidade" com os clientes que a rede dos CTT permite, e adiantou que com esta parceria a EDP passa a ter uma "rede adicional" e "multiplica quase por dez vezes o número de lojas".

Questionado sobre o valor da compensação recebida pela prestação deste serviço à EDP, Francisco Lacerda apenas disse que será efetuada por "ato praticado".

"Em estudo" está ainda o projeto de prestação de serviços de gestão de consumo de energia e eficiência pela EDP Comercial aos CTT, sobre o qual Francisco Lacerda diz que "os contornos ainda não estão definidos", mas vai no sentido de melhorar o desempenho energético.

fonte:http://www.jn.pt/Pa

09
Fev14

GNR fiscaliza veículos pesados na próxima semana

adm

A GNR anunciou este domingo uma operação de "fiscalização intensiva" de veículos pesados de mercadorias e passageiros entre segunda-feira e domingo, envolvendo 4.213 militares nas vias com maior trânsito deste tipo.

A operação incide em 1.700 operações em locais onde existem indícios da prática de ilícitos de natureza criminal e será desenvolvida por elementos da Unidade Nacional de Trânsito, do Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente e da Unidade de Açcão Fiscal.

Em foco estarão o controlo do peso e dos tacógrafos (instrumentos que registam os tempos de condução), a verificação do acondicionamento da carga, as condições técnicas dos veículo, o controlo do álcool e a deteção de infracções de natureza fiscal, aduaneira e ambiental, afirma a GNR em comunicado.

"Algumas acções de fiscalização vão ser realizadas em conjunto com a Guarda Civil espanhola nas principais fronteiras terrestres", como Valença, Quintanilha, Vilar Formoso, Caia e Vila Real de Santo António, acrescenta-se no documento.

A operação enquadra-se no plano definido pela European Traffic Police NetWork (TISPOL), organismo que congrega todas as polícias de trânsito da Europa, bem como pelo Euro Controle Route (ECR), um grupo de serviços de controlo das estradas europeias cujo objetivo é melhorar a segurança rodoviária, informou a GNR.

fonte:http://rr.sapo.pt/

25
Jan14

Portugal é o sétimo país mais barato no preço por noite de hotel

adm

Estudo do trivago Hotel Price Index conclui que neste início de 2014 os preços praticados nos hotéis caíram 3% face a Dezembro.

Os preços praticados nos hotéis portugueses fazem com que Portugal seja o sétimo destino mais barato da União Europeia para pernoitar. De acordo com o estudo do trivago Hotel Price Index, uma noite num hotel português custa, em média, 73 euros face aos 75 euros praticados em Dezembro de 2013 e os 76 euros de Janeiro do mesmo ano. O estudo refere que Portugal iniciou o ano com uma redução de 3% nos preços face a Dezembro.

A contrariar esta tendência de redução surge Portimão que regista um aumento de 21,7% nos preços e a Covilhã que subiu os preços em quase 3%, de 78 euros em Dezembro para os actuais 80 euros. O estudo refere que este valor ainda está muito longe do que se praticava por esta altura em 2013, cerca de 104 euros por noite. As outras cidades que estão a contrariar o cenário de quebra são Braga (5,8%), Lagos (4,5%), Faro (4,2%), Coimbra (1,85%), Estoril (1,6%) e Guimarães (1,5%). Lisboa recua perto de cinco pontos percentuais face ao último mês, com um custo médio de 79 euros. No Porto os preços caem 1,7% 58 euros para os 57 euros.

Na Europa a 28, apenas Bulgária (56 euros), Polónia (56 euros), Malta (66 euros), Roménia (67 euros), Hungria (68 euros) e Grécia (72 euros) surgem como os destinos mais baratos.

 fonte:http://economico.sapo.pt/n

29
Dez13

Já sabe tudo o que vai aumentar de preço em 2014?

adm

Os preços deverão aumentar em média 1% em 2014, "num contexto de ausência de tensões inflacionistas nos mercados internacionais", segundo estima o Governo no relatório que acompanha o Orçamento do Estado para 2014.

Esta variação nos preços representa uma subida de 0,4 pontos percentuais face a 2013 e vai traduzir "alguma maior pressão ascendente sobre os preços [decorrente] da melhoria da procura interna e algum ganho de rentabilidade dos empresários, após anos consecutivos de contração das margens de lucro".

Já o Banco de Portugal previu, no Boletim Económico de Inverno, uma subida dos preços de 0,8%, depois de um aumento de 0,5% em 2013, antecipando que as pressões inflacionistas se mantenham "contidas".

Eis como será o comportamento de algumas das principais classes de preços em 2014:

Eletricidade

A fatura de eletricidade dos consumidores domésticos vai aumentar 2,8% no dia 1 de janeiro, o que representa um acréscimo mensal de 1,21 euros numa fatura média de 46,5 euros (com o IVA a 23%).

Para os consumidores com tarifa social, o aumento será de 1%, o que corresponde a um acréscimo de 23 cêntimos numa fatura mensal de 23,5 euros (com o IVA a 23%).

Transportes

O preço dos transportes públicos vai aumentar, em média, 1% no início de 2014, em linha com a inflação prevista no Orçamento do Estado, avançou hoje à Lusa o secretário de Estado dos Transportes.

Em 2013, o preço dos transportes públicos registou um aumento médio de 0,9%, depois de aumentos de 4,5% (em janeiro de 2011, decidido ainda pelo Governo de José Sócrates), 15% (aumento extraordinário decidido pelo atual Governo em agosto de 2011) e 5% (em 2012).

Portagens

Em 2014, o preço das portagens vai manter-se, o que não acontecia desde 2010, disse à Lusa fonte oficial da Estradas de Portugal (EP).

O preço das portagens manteve-se inalterado em 2010 - à exceção dos sublanços Palmela-Nó de Setúbal (A2/A12) e Montijo-Pinhal Novo - tendo registado aumentos nos anos seguintes: 2,2% em 2011, 4,36% em 2012 e 2,03% em 2013.

Água

O preço cobrado pela água em 2014 vai continuar a ser diferente em cada um dos 308 concelhos portugueses, embora se preveja uma harmonização tarifária na venda de água aos municípios, em resultado da reestruturação da Águas de Portugal (AdP).

O ministro do Ambiente afirmou, no início deste mês, que pretende reduzir as "disparidades tarifárias no setor da água entre litoral e interior" para um máximo de 15%, prevendo que o processo de agregação dos atuais 19 para quatro sistemas, esteja finalizado "do ponto de vista jurídico, no primeiro semestre de 2014".

Os últimos valores, recolhidos pela Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), evidenciam diferenças nos preços praticados pelos municípios de 1 para 14 entre a tarifa mais baixa e a mais alta, em parte justificados pela diferença de valores das tarifas cobradas "em alta" (distribuição e venda aos municípios) pelos sistemas.

Os preços propostos pela AdP, em março, eram de 51 cêntimos por m3, em média, para o abastecimento de água e de 63 cêntimos/m3, em média, para o saneamento.

As câmaras poderão decidir como vão fazer repercutir essas diferenças sobre o utilizador final.

Pão e leite

Leite e pão são alguns dos produtos que devem manter os preços no próximo ano, segundo as respetivas associações setoriais que admitem que a contenção será feita à custa das margens da indústria.

O preço do pão deve manter-se, ainda que à custa da indústria, lamenta o presidente da ACIP (Associação do Comércio e da Indústria de Panificação, Pastelaria e Similares), Francisco Silva.

"Atendendo às circunstâncias macroeconómicas, não temos condições para fazer subidas de preços, vamos tentar que 'o pão nosso de cada dia' continue a chegar à mesa dos portugueses", afirmou.

Francisco Silva sublinhou que é o setor que "está a suportar os aumentos dos custos", apesar "de um tecido empresarial cada vez mais débil" e destacou que o pão foi o alimento que menos subiu desde o 25 de abril.

"O pão custava dez tostões em 1974, o que seria à volta de cinco cêntimos. Hoje o preço médio, a nível nacional, é de cerca de 13 cêntimos", exemplificou, salientando que o pão continua a "matar a fome a muitos portugueses".

No caso do leite, a subida da matéria-prima foi "muito superior à capacidade da indústria" refletir este aumento em 2013, mas não são expectáveis aumentos nos primeiros meses do próximo ano, segundo o diretor-geral da ANIL (Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios).

O preço pago aos produtores subiu mais de 20% entre 2012 e 2013, enquanto o preço pago pelo leite UHT à saída da fábrica aumentou apenas 11%, adiantou Paulo Costa Leite.

Atualmente, o preço médio pago à produção ronda os 37 cêntimos.

"Não é expectável que o preço da matéria-prima se altere nos primeiros meses do ano, desde que não haja condições climatéricas muito adversas", considerou, lembrando que houve uma subida acentuada nos preços do leite a nível mundial no ano passado devido à escassez da produção.

Rendas

Em 2014, o valor das rendas sobe 0,99%, o aumento mais baixo dos últimos dois anos, já que 2013, a atualização foi de 3,36% e, em 2012, foi de 3,19%.

Para se calcular o montante a pagar, o valor da renda (em euros) deverá ser multiplicado por 1,0099%. Ou seja, por cada 100 euros de renda os inquilinos deverão pagar mais 0,99 euros.

Por exemplo, uma renda mensal de 500 euros deverá ser aumentada em 4,95 euros no próximo ano.

As rendas condicionadas vão ter um aumento entre 7,85 e 6,22 euros.

Taxas moderadoras

As taxas moderadoras nas consultas dos centros de saúde vão manter o mesmo valor no próximo ano, enquanto para as taxas nas urgências, consultas e exames em hospitais serão atualizadas ao valor da inflação.

Não haverá atualização anual das taxas moderadoras nas consultas de medicina geral e familiar nos centros de saúde, nem para as consultas de enfermagem, domiciliárias ou sem a presença do utente no âmbito dos cuidados primários.

Para urgências, consultas e exames em hospitais, as taxas moderadoras deverão ser atualizadas à taxa de inflação.

Tabaco e bebidas alcoólicas

O tabaco vai voltar a aumentar em 2014, pelo menos devido aos impostos que o Governo volta a aumentar. O maior aumento será no tabaco de enrolar, que segundo simulações da consultora PricewaterhouseCoopers, chegam aos 1,25 euros nos pacotes de 5 euros.

Já um maço de tabaco que custe 4,20 euros deve aumentar cerca de três cêntimos. Os charutos sofrem um aumento de 5% tal como as cigarrilhas.

No caso das bebidas espirituosas o aumento é de 5%, enquanto o preço da cerveja aumenta em média 1%.

No exemplo de um pacote com seis cervejas que custe cerca de 4 euros, este passaria a custar 4,04 euros.

Cinema

As exibidoras ZON Lusomundo Cinemas e Orient Cineplace, duas das maiores exibidoras de cinema em Portugal, afirmaram à Lusa que não vão aumentar o preço dos bilhetes de cinema.

A exibidora UCI - Cinema International Corporation não respondeu ao pedido de informação.

 

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

10
Dez13

Levantamentos no Multibanco aumentam face ao ano passado

adm

Os números da SIBS mostram uma subida do número e montante levantado em 2013, na última semana de Novembro e primeira de Dezembro.

Entre 25 de Novembro e 8 de Dezembro de 2013, foram realizados nas Caixas automáticas da rede Multibanco 17,3 milhões de levantamentos, o correspondente a 1.122 milhões de euros levantados.

No ano passado, entre 26 de Novembro e 9 de Dezembro, foram feitos 17 milhões de levantamentos, tendo sido então levantados 1.096 milhões de euros. Nos terminais de pagamento automático foram feitas 30,3 milhões de compras este ano (28,1 milhões em 2012), que equivalem a um valor de 1.232 milhões de euros (1.096 milhões de euros em 2012).

"O valor médio levantado por dia foi de 65 euros", refere o comunicado da SIBS, enquanto "em compras, o valor médio dos pagamentos em lojas foi de 41 euros".

fonte:http://economico.sapo.pt/n

03
Dez13

Gás natural da REN chega a Gouveia, Fornos de Algodres e Celorico da Beira

adm

O gasoduto que liga Mangualde, Celorico e Guarda “reforça a integração de Portugal na rede transeuropeia de gás”, informa a REN – Redes Energéticas Nacionais em comunicado emitido terça-feira.

Com uma extensão de 76 quilómetros, o gasoduto atravessa cinco concelhos e contorna o Parque Natural da Serra da Estrela. Co-financiado pela Comunidade Económica Europeia ao abrigo do programa European Economic Programme Recovery (EEPR), o projecto permite, segundo a empresa, “reforça a segurança do abastecimento do país, ao fechar em anel os gasodutos Monforte-Guarda e Cantanhede- Mangualde”.

Citado pelo comunicado, o director-executivo da REN, Rui Cartaxo, considera que a conclusão do gasoduto “é uma etapa importante da criação do mercado ibérico de gás natural”. Para a companhia, “o gasoduto Celorico-Zamora valoriza a Península Ibérica como porta de entrada de gás natural no sistema europeu”.

A REN explica ainda que, para a construção da estrutura, “foi necessário” abater “espécies arbóreas da flora autóctone”, pelo que plantou 28 mil árvores numa área de 25 hectares do Parque Natural da Serra da Estrela. 

fonte:http://www.publico.pt/ec

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D