Medidas extraordinárias só valem metade do corte do défice

Até ao final de 2011 o Governo tem de reduzir o défice em 4,07 mil milhões de euros para atingir as metas exigidas pela troika. Contudo, as medidas extraordinárias que o Governo já apresentou para este ano cobrem apenas 50% daquele montante.

Em Junho, o défice das contas públicas ascendia a 6,995 mil milhões de euros, ou seja, o equivalente a 8,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Mas nos compromissos que assumiu com a troika, Portugal inscreveu um objectivo de défice de 5,9%. Sendo assim, faltam 4,07 mil milhões (2,4 pontos percentuais) para a meta ser cumprida.

A soma de todas as medidas extraordinárias já anunciadas pelo Governo para este ano corresponde apenas a cerca de 50% do montante necessário para para executar essa redução.

Entre sobretaxa extraordinária do IRS, aumento do IVA na luz e no gás, a transferência de parte do fundo de pensões da banca e receitas com concessões, Vítor Gaspar espera arrecadar cerca de 2 mil milhões de euros.

Contas feitas, estas medidas asseguram uma redução de 1,2 pontos percentuais do défice numa descida que tem de ser 2,4 p. p..

Quando forem corrigidos do efeito sazonal, estes indicadores poderão sofrer algum ajustamento.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 23:19 | comentar | favorito
tags: