Jardim admite esclarecer contas da Madeira no Conselho de Estado

Alberto João Jardim disse hoje que "em princípio" vai marcar presença no Conselho de Estado que Cavaco vai convocar em Outubro.

Questionado pelos jornalistas após inaugurar uma exploração agrícola no concelho do Funchal sobre se vai comparecer no Conselho de Estado, o presidente do Governo Regional da Madeira respondeu: "Não sei, depende, depende da data, mas em princípio vou ao Conselho de Estado".

O chefe do Executivo madeirense afirmou ainda que se a situação financeira da região for suscitada na reunião, dará esclarecimentos.

"Se alguém falar da Madeira eu esclareço o que tem que ser esclarecido, agora o tema é a situação económica geral do país", acrescentou.

À pergunta se entende que se trata de uma oportunidade para esclarecer a situação da Madeira, Alberto João Jardim declarou: "Se suscitar, agora o que se diz no Conselho de Estado não se diz cá fora".

O Presidente da República anunciou na quarta-feira que pensa convocar o Conselho de Estado em Outubro para ouvir os conselheiros sobre a "incidência da situação política, económica e financeira" em Portugal.

"Penso no próximo mês convocar o Conselho de Estado para ouvir os conselheiros sobre a incidência da situação política, económica e financeira sobre o nosso país, penso que é importante neste momento ouvir todos os conselheiros sobre essa matéria", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, durante uma entrevista à jornalista Judite de Sousa, na TVI.

Na mesma entrevista, o chefe de Estado reconheceu hoje que a omissão de dívidas públicas na Madeira configura uma situação grave e sublinhou que o programa de ajustamento não pode ser preparado "de um momento para o outro".

Confrontado com as declarações do Presidente da República, Alberto João Jardim referiu: "Já é a quinta vez que me fazem essa pergunta, quem quiser fazer campanha eleitoral vá para a campanha eleitoral".

Interpelado sobre se Cavaco Silva está a fazer campanha, o presidente do Governo Regional da Madeira retorquiu: "Não, a pergunta, já é a quinta vez que me fazem".

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 08:20 | comentar | favorito
tags: