Liga dos Bombeiros acolhe com "surpresa" decisão do Governo sobre taxas moderadoras

O vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) recebeu hoje com "surpresa" a decisão do Governo de deixar de isentar totalmente os bombeiros da taxa moderadora no Serviço Nacional de Saúde (SNS), observando que "não foram ouvidos nem achados" na matéria.

Em declarações à Agência Lusa, Rui Rama da Silva "lamentou esta limitação ao nível da taxa moderadora", porque ela vai abranger todo o universo de bombeiros, calculado em quase 30 mil pessoas.

Além disso, notou, trata-se de uma questão que nunca foi debatida com o ministro da Saúde, a quem a Liga de Bombeiros Portugueses (LBP) já pediu uma audiência para tratar de "vários assuntos", incluindo o transporte de doentes do SNS.

O ministro da Saúde, Paulo Macedo, explicou hoje que se mantém "a isenção total para as grávidas e crianças até aos 12 anos" e para "um conjunto grande" de outros casos, mas os dadores benévolos de sangue e bombeiros, actualmente também dispensados de pagar qualquer taxa moderadora, passarão a estar isentos apenas "na prestação de cuidados de saúde primários".

Rui Rama da Silva salientou que a limitação imposta em termos de isenção das taxas moderadoras vai afectar sobretudo os bombeiros mais velhos, que "necessitam de ter mais acesso aos cuidados de saúde".

O vice-presidente da LBP alegou que os "bombeiros dão o que podem" e que o Estado também devia dar "alguma coisa aos cidadãos que exercem essa actividade", acrescentando que aguarda uma "explicação" por parte do Governo.

Na sua perspectiva, a isenção das taxas moderadoras era uma "pequena compensação" pelo esforço e serviço que os bombeiros prestam à sociedade.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 23:50 | comentar | favorito
tags: