Portugueses entre os mais pobres do euro

Portugal continua a figurar na cauda da Europa, posicionando-se como o terceiro país mais pobre entre os 17 estados que integram o euro. Os números do Eurostat, ontem divulgados, revelam um agravamento das condições salariais das famílias. Pior só mesmo a Grécia e a Estónia.

Os dados do gabinete de estatística da União Europeia (UE), relativos a 2012, colocam o Luxemburgo como o país - tanto no ranking europeu como na ‘liga' do euro - com o Produto Interno Bruto (PIB) per capita mais elevado: 266,1%. É quase o triplo da média registada a nível europeu. Portugal fica comparavelmente abaixo do resultado deste pequeno Estado do centro da Europa, com um PIB por habitante de 76%. O valor é 25% inferior ao da média europeia e demonstra um agravamento de um ponto percentual face ao ano anterior. Feitas as contas, as famílias portuguesas têm um poder de compra 3,5 vezes inferior às famílias dos luxemburgueses.

Entre os países da moeda única, Portugal foi mesmo ultrapassado pela Eslováquia, que viu o poder de compra per capita passar dos 75,4% em 2011 para 76,1% em 2012. Pelo contrário, a Grécia viu igualmente o poder de compra dos seus habitantes derrapar naqueles dois anos, posicionando-se atrás de Portugal e no penúltimo lugar do euro, com um PIB per capita de 75,3%. O último lugar entre os países da moeda única é ocupado pela Estónia, com um PIB por habitante de 71,4%.As disparidades no poder de compra continuam significativas: acima da média estão apenas nove países do euro.

Os números relativos a Portugal sofrem já o efeito das medidas de austeridade aplicadas no decurso do programa de ajustamento, já que são relativos a 2012. Mas não incluem ainda os efeitos da política fiscal aprovada no Orçamento do Estado para 2013, classificado pelo próprio ex-ministro das Finanças, Vítor Gaspar, como o ano do "enorme aumento de impostos". A discussão em torno do poder de compra das famílias ganha também uma maior importância num momento em que se discute em Portugal a pressão da troika, que se encontra no País para a 10ª avaliação do programa de ajustamento, para que os salários continuem a encolher.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/

publicado por adm às 22:59 | comentar | favorito
tags: