Procura excede oferta na venda dos correios

A procura excedeu a oferta na operação pública de venda dos Correios, anunciou esta terça-feira o Executivo, e a grande maioria das ordens de compra vieram do estrangeiro. O secretário de Estado dos Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, diz esperar que estes investidores fiquem na empresa.

“Nunca podemos antecipar o comportamento de nenhum investidor. Eles têm diversas características, mas cada investidor poderá fazer com as acções que lhe serão atribuídas com base no rateio, o que bem entender”, começou por dizer o secretário de Estado.

“Obviamente que a expectativa que temos é que a maioria dos investidores possa estar com o horizonte de longo prazo no capital dos CTT, que possa participar na continuação da transformação estrutural da empresa, para criar valor”, acrescentou. 

A venda dos CTT pode gerar até 578 milhões de euros de receita para o Estado e é essa pelo menos a expectativa do Governo, que encerrou ao preço máximo por acção.

A nova estrutura accionista dos CTT será divulgada pela Comissão De Mercado De Valores Mobiliários (CMVM). O Governo considera que a privatização dos Correios comprova a recuperação da confiança internacional no nosso país. 

“A única coisa que podemos de facto confirmar é que a maioria da procura veio do exterior, portanto temos aqui o reforço da componente de intervenção externa de investimento directo estrangeiro na economia portuguesa, que é um sinal de confiança reforçada na performance desta empresa e da economia portuguesa como um todo”, considerou Sérgio Monteiro.

“Os CTT têm a esmagadora maioria do seu negócio em Portugal e, portanto, está directamente relacionado com a prestação da própria economia portuguesa", concluiu.

As acções dos CTT foram vendidas a 5,52 euros e na quinta-feira os novos accionistas da empresa já podem negociar os títulos dos Correios na Bolsa de Lisboa. 
 

 fonte:http://rr.sapo.pt/in

publicado por adm às 21:53 | comentar | favorito