Reacções: Partidos reconhecem dureza do Orçamento

Reacções dos partidos com assento parlamentar convergem num ponto, o da exigência do esforço imposto pelo Orçamento para 2014.

Miguel Frasquilho, deputado do PSD
"É um Orçamento extremamente duro, extremamente exigente. As medidas de austeridade foram na sua esmagadora maioria conhecidas em Maio último. Há uma tentativa de repartir de forma mais adequada os esforços dos portugueses". 

Pedro Marques, deputado do PS
"Depois de cinco mil milhões de euros de austeridade em 2013, o défice que vai passar para 2014 é o mesmo do que quando começámos o ano. Os sacrifícios dos portugueses foram todos perdidos para a austeridade provocada pelas próprias políticas recessivas do Governo."

João Almeida, porta-voz do CDS
"Este orçamento tem um limite para o défice que não era o defendido pelo Governo. É o Orçamento que nos permitirá que o Orçamento para 2015 seja elaborado com maior liberdade. É um Orçamento que tem medidas gravosas. Foi retirado desse pacote a TSU dos pensionistas".

Paulo Sá, deputado do PCP
"Podemos dizer que este será o pior Orçamento do Estado para a vida dos trabalhadores e das famílias desde que foi assinado o pacto de agressão. Vai agravar a vida dos trabalhadores, dos reformados, dos pensionistas, com um objectivo - poder continuar a garantir os benefícios que são dados à banca e aos grandes grupos económicos".

Pedro Filipe Soares, líder parlamentar do BE
"Vemos que o défice continua quase igual como estava quando este Governo tomou posse em 2011. (...) A insistência que o Governo faz em mais austeridade para resolver os problemas só demonstra que não aprende com os erros".

 fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 22:47 | favorito
tags: