Passos admite acabar com TSU para empresas que criem emprego

O primeiro-ministro diz que não aceita a descida em oito pontos percentuais da Taxa Social Única (TSU) e equaciona uma descida menor.

"Não há margem orçamental para uma redução generalizada da TSU", defendeu Passos Coelho em entrevista à RTP.

"Não aceitamos a descida de oito pontos percentuais da TSU", defendida pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), sustentou, acrescentando que o Executivo equaciona uma "descida menor".

O primeiro-ministro admitiu mesmo que "pode acabar a TSU para as empresas que criem emprego", em termos líquidos, ou seja, onde o número de contratações seja superior aos despedimentos. 

Passos Coelho adiantou ainda que "ou equacionamos uma descida menor este ano, que vai significar um reforço razoável do IVA e um menor impacto nas empresas, ou uma descida na totalidade". "Trata-se apenas de uma possibilidade. Estamos a ultimar o estudo sobre isto", frisou.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 22:38 | comentar | favorito
tags: