Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Noticias do momento

Noticias do momento

30
Set13

Imposto pago pelas famílias subiu 8,1%

adm
O rendimento disponível das famílias caiu 0,3% no ano acabado no segundo trimestre. Uma evolução determinada pelo aumento da tributação, só parcialmente compensada pela subida das prestações sociais. Apesar disso a poupança aumentou.

O aumento de impostos sobre o rendimento pago pelas famílias em 8,1% durante o ano terminado no segundo trimestre de 2013 e a redução das remunerações em 0,3% foram os factores determinantes para uma redução do rendimento disponível, revela o INE. A subida das prestações sociais nesse mesmo período (mais 1,1%) não foi suficiente para compensar os efeitos dos impostos e da redução nas remunerações.

 

O rendimento disponível das famílias, que caiu 0,3% no ano terminado no segundo trimestre de 2013, tem registado um contributo decrescente das remunerações. No segundo trimestre de 2013 as remunerações representavam 64% do rendimento disponível quando no primeiro trimestre de 2010 esse peso era de 69,6%.

 

“O peso relativo das remunerações apresenta uma tendência decrescente, parcialmente compensada pelos aumentos do saldo dos rendimentos de propriedade e das prestações sociais líquidas de contribuições sociais”, salienta o INE nas suas Contas Nacionais Trimestrais por Sector Institucional.

 

Nos últimos trimestres, afirma ainda o INE, “é também visível o aumento do peso relativo dos impostos pagos pelas famílias, com um contributo negativo para o respectivo rendimento disponível”. No segundo trimestre deste ano os impostos pagos pelas famílias foram o equivalente a 9,5% do rendimento disponível, quando tinham sido 8% no primeiro trimestre de 2010, segundo valores do INE. O aumento do imposto foi de 8,1% quando se compara o ano terminado no segundo trimestre de 2013 com igual período do ano anterior.

 

Apesar da redução do rendimento disponível, as famílias pouparam mais. A taxa de poupança para de 13,4% do rendimento disponível no ano terminado no primeiro trimestre para 13,6% nos dozes concluídos em Junho. A subida da poupança das famílias é determinada por uma redução do consumo superior à diminuição do rendimento. O consumo das famílias caiu 0,5% quando o seu rendimento disponível recuou 0,3% no ano acabado no segundo trimestre.

 

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/ec

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D