Onda de calor. Ventoinhas e ares-condicionados quase esgotaram este fim de semana

A onda de calor levou a um aumento substancial das vendas de aparelhos de climatização durante o último fim-de-semana em todo o país.

O aumento das vendas alcançou os dois dígitos em várias cadeias comerciais contactadas pelo Dinheiro Vivo, que registaram uma forte procura por estes aparelhos. Apesar de não terem registado ruturas de stocks, as cadeias disseram que foi necessário proceder a um reforço dos mesmos, devido ao aumento abrupto das vendas destes aparelhos.

 Nas lojas Worten de todo o país, as vendas aumentaram 15 vezes na última semana, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados da empresa

Também nas lojas Jumbo e Pão de Açúcar as vendas foram acima do "expectável" nos últimos dias em relação a 2012, adiantou fonte oficial da Auchan.

Na cadeia Media Markt o crescimento de vendas também foi bastante significativa, com as vendas a dispararem para 10 vezes mais na última semana em comparação com período homólogo. “Quando o calor sentido durante a noite é muito elevado, já sabemos que no dia a seguir vamos ter muitos clientes à espera quando abrirmos a porta da loja, sinal de que vai ser um bom dia de vendas destes aparelhos”, explica Francisco Teixeira, responsável pelo departamento de Compras da empresa, que sublinha que as vendas de ventoinhas e de ares-condicionados portáteis dominam as vendas neste segmento, porque não implicam a despesa de instalação como no caso dos ares-condicionados fixos.

Na cadeia de venda grossista Makro, o cenário foi semelhante. As vendas no total das suas 10 lojas destes aparelhos ultrapassou os 1700% na última semana, face ao ano passado, adianta fonte da empresa.

 

Sobre a possibilidade dos stocks terem esgotado ou virem esgotar, as cadeias afastaram esse cenário. A Media Markt sublinha que foi preciso acelerar as encomendas aos fornecedores, depois de um início de verão mais frio ter acalmado a corrida aos aparelhos de climatização.

Também as lojas Jumbo e Pão de Açúcar sentiram necessidade de reforçar os stocks nos últimos dias, explicou a empresa.

Na Makro a situação foi semelhante, com fonte da empresa a destacar que foi necessário efetuar "um reforço de encomendas aos fornecedores" para satisfazer a procura.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/Ec

publicado por adm às 23:05 | comentar | favorito