Remédios em risco nas unidades públicas

Roche já não fornece remédios a hospitais públicos gregos.

A Associação de Administradores Hospitalares admite que possa vir a ser suspenso o fornecimento de medicamentos aos hospitais públicos, à semelhança do que já está a acontecer na Grécia. O presidente executivo da Roche afirmou, em entrevista ao Wall Street Journal, que a empresa já não está a entregar medicamentos a hospitais públicos que não pagam as contas, nalguns casos há três ou quatro anos, e referiu que também existem situações semelhantes em Portugal, Espanha e Itália.

O presidente da Associação de Administradores Hospitalares diz que não exclui a possibilidade de esse fornecimento vir a ser suspenso em Portugal. Pedro Lopes, em declarações à Lusa, refere a preocupação com a dívida dos hospitais à indústria farmacêutica e explica que o Ministério da Saúde deve muito dinheiro aos hospitais pelos contratos-programa que estabeleceu e não honrou.

Na Grécia, o corte no fornecimento de medicamentos já atingiu mesmo fármacos para o tratamento do cancro e, segundo o Wall Street Journal, os doentes estão a ser obrigados a comprar os medicamentos de que necessitam nas farmácias e depois levá-los para os hospitais públicos, onde são administrados.

fonte:http://economico.sapo.pt

publicado por adm às 13:38 | comentar | favorito