Benfica fecha época sem títulos

Vitória de Guimarães derrotou hoje o Benfica por 2-1 e conquistou a sua primeira Taça de Portugal.

Nem Liga, nem Liga Europa, nem Taça de Portugal: a tripleta do Benfica em 2012/13 foi de competições perdidas, enquanto o Vitória chegou à sua primeiras Taça.

Pela sexta vez na final, os vimaranenses equilibraram na primeira parte, perturbando as saídas de jogo do Benfica com pressão sobre Matic e Enzo Pérez. Mesmo assim, os lisboetas foram mais perigosos, forçando Douglas a diversas intervenções atentas.

Com mais lances de entendimento pelo lado direito, envolvendo Maxi Pereira e Salvio, o Benfica era mais incisivo, mas esteve à beira de ser surpreendido num contra-ataque minhoto em superioridade numérica.

À passagem da meia hora, porém, uma precipitação na área levou a que uma tentativa de alívio fizesse ricochete no pé esquerdo de Gaitán, ressaltando a bola para a baliza do Vitória. A maré vermelha apoderou-se do Estádio Nacional, Lima e Cardozo experimentaram remates de longe, mas foi o Vitória que se queixou de um penalty sobre Addy perto do intervalo. Havia 45 minutos para contrariar a tendência, procurar a conquista do troféu e os minhotos iriam revelar a força de carácter necessária para operar a reviravolta no marcador.

"E ó Vitória, vamos a eles!" cantou-se do lado minhoto. No entanto, tal como a tarde à medida que se esbatia o sol, o jogo tornou-se frio. Rui Vitória quis que a equipa reagisse e apostou em Marco Matias. Mais tarde, Jesus ripostou com a troca de Cardozo por Urreta, mas, embora aumentasse a velocidade, o encontro permaneceu pouco interessante. Conforme avançava o tempo, as equipas tornavam-se complicativas e o próprio árbitro Jorge Sousa foi acumulando interrupções desnecessárias.

Com Urreta em campo, o Benfica foi mais ameaçador, acercando-se da área com insistência, mesmo que não traduzisse essa presença em oportunidades de golo. Rui Vitória apostou em Crivellaro e acabaria premiado: num mau alívio de Artur, Soudani aproveitou para empatar, deixando os adeptos a celebrar (80 m). Logo no minuto a seguir, num remate de fora da área desferido por Ricardo em que Artur pareceu mal batido, fez-se a reviravolta no resultado.

Com os adeptos do Benfica a deixar o estádio e os do Vitória a celebrar, Jesus substituiu Gaitán por Rodrigo e ainda deu oportunidade a Aimar para os minutos finais, mas o resultado já não sofreu quaisquer alterações. E, enquanto se fazia de frustração o entardecer benfiquista, simbolizada nas manifestações de descontentamento de Cardozo, a maré branca de vitorianos tomava conta do Jamor.

 

fonte-,http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 22:40 | comentar | favorito