Que fornecedor de gás e eletricidade escolher?

As tarifas reguladas de eletricidade e gás natural - aquelas que todos os anos eram fixadas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos - acabaram a 1 de janeiro e foram substituídas por tarifas transitórias, mas isso não quer dizer que tenha de mudar já de operador ou que vá ficar sem eletricidade e gás em casa. Os clientes domésticos têm até ao final de 2015 para mudar para o mercado livre.


Neste momento, o pior que pode acontecer é estar a gastar mais dinheiro porque as tarifas transitórias aumentaram, respetivamente, 2,8% e 2,5% em janeiro, e podem voltar a subir novamente de três em três meses.

O primeiro passo é estudar as ofertas que existem no mercado e perceber qual a que melhor se adequa aos consumos mensais. O JN/Dinheiro Vivo compilou as ofertas que existem hoje no mercado livre de eletricidade e gás para os clientes domésticos.

A EDP e a Galp são as empresas com as campanhas mais agressivas e com mais pacotes disponíveis. Já a Endesa tem uma oferta bastante vantajosa, principalmente se tiver tudo elétrico em casa, e a Iberdrola prepara-se para apresentar uma nova oferta ainda este mês. Contudo, todas têm em comum o facto de não ter fidelização (pode-se mudar de operador quando se quiser).

EDP Casa Total

Oferta para ter fatura conjunta de eletricidade e gás. Dá 2% de desconto na eletricidade, nas tarifas simples e tri-horárias e 5% no gás. Tem tarifa bi-horária para potência a partir de 3,45 kvA, mas o preço é igual ao da tarifa transitória, ou seja, ao que existe atualmente.

EDP Casa

Dá 2% de desconto apenas na eletricidade, nas tarifas simples e tri-horária, a partir de 10,35 kvA. Tem tarifa bi-horária para potências a partir de 3,45 kvA, mas o preço é igual ao da tarifa transitória, ou seja, ao que existe atualmente. Exige pagamento por débito direto.

Mais informações: https://energia.edp.pt/particulares.aspx

EDP Microgeração

Só para adesões até 30 de abril de 2013. Dá 10% de desconto na eletricidade e mais 10% no gás para casas com potências entre 6,9 e 41,4 kvA, mas obriga a instalar painéis fotovoltaicos para produzir energia para vender à rede. O investimento nos painéis vai de 8600 a 23300 euros, mas além do desconto, pode ter receitas de 3200 euros por ano durante 25 anos com a venda de energia. Mais informações e simulações:

http://www.microgeracaoedp.com

Galp On eletricidade+gás

Oferta dual com descontos de 2% a 5% na eletricidade e de 5% no gás. Tem opção bi-horária com preço igual à tarifa transitória e 5% de desconto no gás, ou então com 2% de desconto no bi-horário e de 5% no gás, mas, neste caso, tem de contratar um serviço adicional que custa entre 3,90 e 5,90 euros por mês.

Galp On Eletricidade

Dá 2% de desconto na tarifa transitória simples e na bi-horária, mas tem de contratar um serviço adicional que custa entre 3,90 e 5,90 euros por mês.

Galp On Gás

Dá 2% de desconto na tarifa transitória, mas tem de contratar o serviço adicional que custa entre 3,90 e 5,90 euros mês.

Mais informações:

http://www.galpenergia.com/PT/ProdutosServicos/GasNatural/Mercado-Livre/Residencial/Paginas/Galp-On.aspx

Casa Iberdrola

No site diz que oferece 10% de desconto no preço da tarifa transitória de energia, mas esta campanha terminou em dezembro de 2012. A empresa está a preparar uma nova oferta para este mês.

Mais informações:

http://www.iberdrola.pt/02sicb/corporativa/iberdrola?IDPAG=PTWCOIBRELEPLA

Endesa

Dá 5% de desconto sobre o preço da tarifa transitória de energia. O preço da potência não tem desconto e não têm ainda tarifa bi e tri-horária, e também não tem oferta de gás. No site, os valores sobre os quais se aplica o desconto estão desatualizados e, por isso, onde está o preço de 0,1393 euros por KWh deve ler-se 0,1405 euros.

Mais informações:

http://www.endesa.pt/PT/iframe.asp

Gás Natural Fenosa

Tem oferta de eletricidade, gás e ainda dual de eletricidade e gás na mesma fatura, mas não disponibiliza informações no site, apenas através do mail: clientes@unionfenosa.pt.

Goldenergy

Só para gás. Não paga o termo fixo da conta o que significa um desconto imediato de 20%, mas obriga a um ano de fidelização.

Mais informações:

http://www.goldenergy.pt/pt/campanhas/campanha-mercado-livre

Incrygas

Fornecedora de gás, mas não tem informações no site e não clarifica se tem oferta para o mercado residencial.

Mais informações:

http://www.incrygas.pt/Default.aspx?tabid=69&language=en-US v

Como mudo de fornecedor?

Basta ligar para a empresa a contratar que ela trata de tudo. O processo é gratuito, demora no máximo três semanas e durante esse período não será interrompido o fornecimento de eletricidade ou gás que tem. Além disso, pode mudar de fornecedor as vezes que quiser porque não há fidelização.

Questões frequentes:

Se eu for cliente da EDP ou da Galp e quiser manter o mesmo operador também é preciso mudar?

Sim. A EDP Universal é a operadora do mercado regulado e no mercado livre é a EDP Comercial. No caso da Galp, será preciso mudar para o Galp On.

Há tarifas bi-horárias no mercado livre?

Sim. A Galp e a EDP são, para já, as únicas com essa oferta, mas os preços são iguais aos do mercado regulado, ou seja, à tarifa transitória bi-horária.

Já estou no mercado livre. É possível regressar ao mercado regulado?

Não. Mudar só é possível se for para outro operador do mercado livre. Além disso, desde 1 de janeiro que os novos contratos têm de ser feitos no mercado livre.

No final de 2015, quem não estiver no mercado livre é colocado automaticamente na opção do operador com quem tem contrato?

A escolha é sempre do consumidor. O operador não pode decidir, mesmo nessa situação, porque isso vai contra a lógica do mercado livre.

Pegue na fatura de janeiro e subtraia os descontos referidos ao preço da energia e ao da potência contratada, individualmente. Use os valores do consumo medido e não do consumo estimado.

No caso da Endesa, tem de descontar os 5% apenas no preço da energia porque a potência não tem desconto.

Se a sua conta incluir dezembro de 2012 e janeiro de 2013, use apenas o valor referente a janeiro porque já tem o aumento.

Ao resultado tem de juntar o IVA a 23%, a taxa de contribuição audiovisual, ou seja, o pagamento para a RTP, a taxa de exploração da Direção-Geral de Energia e Geologia e o imposto Especial Consumo Eletricidade. No gás, apenas o IVA.

Os consumidores que mantêm a EDP ou a Galp (mercado com tarifas reguladas) como fornecedores de luz e gás têm de mudar de contrato ou de fornecedor até 2015. Quem ainda não o fez irá pagar cada vez mais.

fonte:http://www.google.com/r

publicado por adm às 19:40 | comentar | favorito