Pequeno comércio obrigado a comprar registadoras novas

Associações queixam-se da burocracia e despesas implicadas pelas novas regras de faturação


Os pequenos comerciantes que faturam menos de 100 mil euros por ano estão em teoria dispensados de comprar novos equipamentos de faturação. Na prática, para conseguirem cumprir o conjunto de exigências de emissão e reporte de faturas, vão ser forçados a gastar dinheiro. E muito.

De acordo com o «Jornal de Negócios», a despesa pode chegar aos 1.500 euros, só para novos equipamentos, a que podem somar-se novos custos de contexto. As queixas têm partido das associações empresariais, que não têm mãos a medir com os pedidos de informação dos seus associados.

Uma das novidades em 2013 é a obrigação de ter software de faturação certificado para quem fature mais de 100 mil euros por ano ou emita mais de mil faturas. A isso, soma-se o facto de a generalidade das empresas ter de substituir a emissão de talões de venda por faturas ou faturas simplificadas e comunicar mensalmente ao Fisco a informação sobre os documentos emitidos.

Para a restauração e turismo, um dos problemas é que as empresas que não estão legalmente obrigadas a comprar novos equipamentos, na prática, terão de arcar com um custo. A maioria das máquinas registadoras antigas não permite alterar a denominação de «venda a dinheiro» ou «talão de venda» para «fatura numerada» o que, em termos objetivos, acaba por anular a exceção dos 100 mil euros e obrigar à aquisição de novos equipamentos.


fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 13:40 | favorito