Fibra ótica chega às zonas rurais do Norte em 2013

O presidente executivo da DSTelecom anunciou esta terça-feira, em Mogadouro, que 80 % da rede de fibra ótica prevista para as zonas rurais do Norte já está construída e que estará disponível no primeiro semestre de 2013.

Em fevereiro de 2010, a DSTelecom, de Braga, que ganhou os concursos para as redes de nova geração (RNG) das zonas rurais do norte e sul de Portugal, anunciou um investimento de 108 milhões de euros em nove mil quilómetros de fibra ótica.

Hoje, em Mogadouro, o presidente executivo da DSTelecom, Xavier Rodriguez-Martín, disse que este investimento, em 79 concelhos do Norte e do Sul, é «o maior em curso em Portugal no ramo das comunicações e que abrange mais de nove mil quilómetros de cabos de fibra ótica».

Segundo o responsável, nos três primeiros anos do projeto vão ser investidos cerca de 100 milhões de euros, dos quais 56 mil são provenientes de fundos comunitários.

«Esta é uma rede pioneira, já que existem poucas redes rurais de banda larga no mundo e que tem a ver com a utilização de um cabo específico para ser utilizado em zonas de baixa densidade populacional, que poderá ser utilizado para ligar a uma distância de 200 metros até à casa do utilizador», acrescentou.

A DSTelecom acredita que este investimento é o mais utilitário do século XXI e que só pode ser comparado com aquilo que aconteceu no século XX, com a instalação de redes de abastecimento de água e saneamento às populações rurais.

Do montante global, 60% serão investidos na região Norte, abrangendo 44 concelhos das regiões de Trás-os-Montes, Minho, Douro, Cávado, Ave, Tâmega e Sousa, o que corresponde a 13,6% da superfície do país e servirá 4,6% da população (cerca de 450 mil pessoas).

Já no Sul, a empresa vai intervir em 35 concelhos das regiões do Alentejo e Algarve, o que garante uma cobertura de 19% do país e 2,5% da população (cerca de 250 mil pessoas).

No total, são cerca de 20 mil quilómetros quadrados que serão cobertos com este projeto, considerado pioneiro pelos promotores, e vocacionado para a melhoria das condições de vida dos utilizadores de comunicações em regiões do interior.

Os principais objetivos do projeto passam por instalar rede de fibra ótica em zonas rurais, permitir o acesso neutro a operadores, levar a banda larga a localidades de média dimensão, permitir acesso a redes municipais e parceria com projetos de cidades e regiões digitais, entre outras aplicações.

Na região Sul avança-se para a conclusão dos primeiros 45% da rede de banda larga, estando prevista a conclusão deste traçado de fibra ótica para finais de 2013.

Em 2014 e 2015, a empresa prevê o início de uma verdadeira revolução em matéria de telecomunicações no mundo rural.

fonte:;http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 20:54 | comentar | favorito
tags: