Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Noticias do momento

Noticias do momento

31
Out12

Luz: aumento em 2,8% «não estimula comercializadores livres»

adm

O presidente da Endesa Portugal, Nuno Ribeiro da Silva, disse esta quarta-feira que o aumento de 2,8% dos preços da eletricidade, a partir de janeiro, não estimula os comercializadores em regime livre a atuarem no mercado doméstico «com agressividade».

À margem do XI Fórum da energia, promovido pelo Diário Económico, Nuno Ribeiro da Silva defendeu que «a tarifa que agora foi proposta e que, em princípio será corrigida em março, não é suficiente ou não é muito estimulante para os comercializadores em regime livre atuarem no mercado com agressividade».

«Com esta tarifa que agora está em discussão não estamos com condições para aumentar a agressividade no mercado para concorrência no segmento doméstico», declarou, citado pela Lusa.

O regulador de energia vai propor um aumento de 2,8% dos preços da eletricidade a partir de 1 de janeiro de 2013 para os consumidores domésticos em Portugal continental, ou seja, mais 1,24 euros por mês em média.

Esta é a primeira tarifa transitória proposta pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) no âmbito do processo de liberalização do mercado de eletricidade e vai vigorar até 31 de março do próximo ano, altura em que o regulador voltará a anunciar uma outra tarifa transitória de 1 de abril até 30 de junho e assim sucessivamente, trimestre a trimestre até final de 2015.

Nuno Ribeiro da Silva adiantou que a Endesa está a «estudar a proposta para ver alterações que possam ser feitas no conselho tarifário», órgão consultivo que dará a sua decisão final a 15 de dezembro.

O presidente da Endesa Portugal destacou o passo positivo que foi dado na transparência das tarifas, com «a limitação de muitos dos custos cruzados que existiam na definição de tarifas».

O aumento de 2,8% proposto ao Conselho Tarifário, que dará a sua decisão final a 15 de dezembro, permite concluir, segundo a ERSE que «a expressão, nos orçamentos familiares, do aumento subjacente à proposta de tarifas de venda a clientes finais para 2013 é de 1,24 euros, para uma fatura média mensal de 47 euros», abrangendo a maioria das famílias portuguesas, cerca de 5,6 milhões de consumidores.

fonte^:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D