Portugueses estão a desfazer-se do ouro

Quase dez por cento do crescimento das exportações de mercadorias este ano resultam da venda de ouro, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Nos primeiros sete meses de 2012, Portugal exportou 26.914 milhões de euros em bens. Este valor é superior em 2.193 milhões ao que se registou no mesmo período do ano passado (subida de 8,9 por cento; valores nominais).

Nos primeiros sete meses de 2012, as exportações de ouro portuguesas ascenderam a 455,9 milhões de euros. Comparando com o mesmo período de 2011, Portugal vendeu mais 201 milhões de euros em ouro, um crescimento superior a 75 por cento.

Ou seja, do aumento de 2.193 milhões de euros nas exportações portuguesas, quase um décimo (9,1 por cento) deve-se ao crescimento das vendas de ouro.

A venda expressiva de ouro resultada de que com a crise muitas famílias estão a desfazer-se do metal precioso que têm em casa, na sua maioria em objectos de adorno de ourivesaria.

As estatísticas do INE mostram que as exportações de ouro dispararam a partir de 2008. Até esse ano, o valor do ouro não-monetário vendido por Portugal ficava abaixo dos dez milhões de euros.

Em 2008, esse valor disparou para 33,4 milhões. No ano seguinte, chegou-se aos 102 milhões. Se a tendência de crescimento dos primeiros sete meses deste ano se mantiver, em 2012 as exportações de ouro vão ascender a 800 milhões de euros.

Parte deste crescimento é explicável pela subida na cotação do ouro. Segundo números do Banco de Portugal, o preço do ouro nos mercados internacionais quintuplicou nos últimos dez anos.

Porém, apesar de significativo, este aumento só justifica uma pequena fatia do crescimento explosivo das exportações portuguesas de ouro nos últimos quatro anos. A maior parte do crescimento foi mesmo em volume, não em preço.

A evolução das exportações revela que em 2000 foram vendidos para o estrangeiro 9,3 milhões de euros de ouro. Exportações que até 2007, ano em que se venderam 6,9 milhões de euros, sofreram um recuo.

 

Em 2008 as vendas dispararam para 33,4 milhões de euros e em 2011 atingiam os 519,4 milhões de euros.

“Em 2010, exportaram-se 13 toneladas de ouro compradas por casas [de compra de ouro usado]. Eram investimentos de famílias mais débeis», afirmou o presidente da associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal, Manuel Alcino, em Fevereiro último.

Em 2010 existiam em Portugal quatro mil lojas deste ramo, um número que aumentou para cinco mil em 2011.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/


publicado por adm às 15:37 | comentar | favorito