Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Noticias do momento

Noticias do momento

22
Set12

Contratos de telefones, Net e tv por cabo serão anulados se dívida passar os 60 dias

adm

Os contratos de fornecimento a particulares de internet, telemóvel ou televisão por cabo vão terminar se os consumidores não pagarem as contas 60 dias depois do prazo limite, disse, esta quinta-feira, fonte do Ministério da Justiça.


A nova legislação foi aprovada esta quinta-feira em Conselho de Ministros e pretende, segundo a mesma fonte, evitar que os consumidores acumulem dívidas grandes como vinha sucedendo, com empresas que não cessavam os contratos mesmo que os clientes não pagassem as contas.

Nessa situação, o valor da dívida ia acumulando e atingia, por vezes, valores difíceis de saldar, que acabavam em tribunal, situação que se pretende agora evitar, já que valores mais pequenos serão mais facilmente pagos pelos devedores, explicou a mesma fonte do Ministério da Justiça.

Com as novas regras, as contas das comunicações eletrónicas devem ser saldadas nos 30 dias seguintes à data de pagamento. Se tal não acontecer, a empresa suspende o serviço. No caso de a dívida continuar por pagar nos 30 dias seguintes, a empresa fornecedora é obrigada a suspender o contrato.

A dívida será depois paga recorrendo aos processos habituais, mas os responsáveis governamentais esperam que haja menos processos a entrar nos tribunais por os valores passarem a ser menores e mais facilmente pagos através de acordos extrajudiciais.

Algumas empresas fornecedoras de internet, telemóveis ou internet já vinham suspendendo os serviços em caso da falta de pagamento, mas outras impunham o cumprimento dos contratos mesmo depois dos consumidores fazerem saber não ter possibilidade de suportar o custo, criticou, por seu lado, o secretário da associação de Defesa do Consumidor DECO, Jorge Morgado.

"Achamos que pode ser uma medida interessante porque pode resolver o problema das dívidas de algumas famílias", disse Jorge Morgado à agência Lusa, que acusa alguns prestadores deste tipo de serviços de "insensibilidade" por continuarem a prestar serviços que as pessoas não podem pagar só porque têm contratos de fidelização assinados.

No caso das empresas, o prazo de pagamento vai poder ser ultrapassado em 20 dias em vez dos atuais dez, mas o serviço só será suspenso se o fornecedor assim o entender, já que a lei não se alterou neste caso.

A anulação dos contratos por falta de pagamento já foi testada anteriormente com os seguros automóveis e "resultou", pelo que foi agora adaptada às comunicações eletrónicas, acrescentou a mesma fonte do Ministério da Justiça.

fonte:http://www.jn.pt/


Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D