Advogado garante que as novas provas ilibam Duarte Lima

Advogado garante que as novas provas ilibam Duarte Lima

Numa nota enviada hoje à agência Lusa, João Costa Ribeiro Filho, advogado brasileiro de Duarte Lima, diz que a "pseudo investigação não tem nada de novo em relação às notícias sobre este tema, que já foram divulgadas no passado, e não passa de pura especulação".

O semanário Sol noticia que a polícia brasileira afirmou ser detentora de "fortes indícios do envolvimento de Duarte Lima no assassínio de Rosalina Ribeiro, em Dezembro de 2009, com base, entre outros elementos, nas multas por excesso de velocidade do carro que o ex-deputado do PSD terá alugado para transportar a vítima no dia em que foi morta".

O advogado salienta que ao contrário do que tem sido anunciado, a "prova existente nos autos inocenta" Duarte Lima. João Costa Ribeiro Filho escreve ainda que até ao momento "não houve qualquer pronunciamento sobre esta matéria nem por parte da justiça nem do Ministério Público brasileiro".

"A manipulação vergonhosa que fontes nunca identificadas, genericamente atribuídas à polícia brasileira, vêm fazendo há mais de um ano sobre este caso, às vezes de forma obscena e vergonhosa, serve os interesses que são conhecidos em Portugal, o que torna ainda mais chocante", escreve o advogado em comunicado, sem referir aqueles interesses.

O advogado afirma que Duarte Lima vai aguardar em silêncio até que a investigação seja concluída para depois "pedir contas aos responsáveis pelas calúnias".

Entretanto, diz ainda João Costa Ribeiro Filho, o ex-deputado do PSD apenas intervirá para chamar a atenção para a total inconsistência da campanha que lhe movem através dos jornais porque não é possível de outro modo".

De acordo com o semanário, "o carro de Duarte Lima esteve no local do crime na véspera do assassínio", "o primeiro tiro foi disparado ainda dentro do automóvel" e "carro terá sido entregue lavado e sem tapete do lado do 'pendura'".

O Sol escreve ainda que "o ex-deputado do PSD disse não saber onde alugou o carro mas escreveu à empresa a pedir a factura do aluguer da viatura para a juntar à declaração de rendimentos".

Rosalina Ribeiro, antiga secretária do milionário Lúcio Feteira, estava a disputar na justiça com a filha deste uma herança e Duarte Lima era o seu advogado.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 22:49 | comentar | favorito