EDP lança campanha para atrair clientes de gás natural

A EDP inicia esta sexta-feira uma campanha para atrair clientes para o mercado livre, alargando a sua oferta ao gás natural, uma resposta à Galp que desde maio lançou uma oferta que inclui fornecimento de eletricidade.

A empresa liderada por António Mexia prolongou a sua oferta com descontos de 10 por cento na fatura do gás e 2 por cento na da eletricidade face à tarifa regulada, contra a Galp, que oferece descontos de 5 por cento na luz e 5 por cento no gás.

Miguel Stilwell, administrador da EDP, disse à Lusa que «a estrutura da oferta» da campanha «é diferente da dos nossos concorrentes» porque a EDP «é líder de mercado na eletricidade e tem uma boa oferta de gás natural», acrescentando que, devido à liberalização do mercado a partir de 1 de janeiro do próximo ano, está «a haver uma dinamização do mercado livre» passando «a existir ofertas competitivas que acrescentam valor aos consumidores».

Segundo o administrador da EDP, a oferta da empresa permite «antecipar a liberalização total a partir de 1 de janeiro de 2013», sendo uma «boa proposta» perante os aumentos de 6,9 por cento no gás decididos pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) para a tarifa regulada que irá vigorar até 31 de dezembro deste ano.

Miguel Stilwell disse, sobre esta campanha, estar «confiante» na adesão dos portugueses a esta nova modalidade de tarifa dual (gás + eletricidade), até porque a empresa já tem essa experiência em Espanha: «Temos mais de um milhão de clientes de gás na Península Ibérica e o grosso dos nossos clientes (700 mil) estão no mercado livre, sendo que já fazemos a oferta dual há oito ou mais anos».

Por seu lado, a Galp Energia, que lançou em maio passado a Galp On, anunciou recentemente que, devido a esta campanha, superou a barreira dos 50 mil clientes, sendo que o plano dual, que combina gás e eletricidade, representam 60 por cento dos clientes.

Segundo dados da ERSE, mais de 630 mil clientes passaram para o mercado liberalizado, correspondendo a 56 por cento do volume de eletricidade consumida em Portugal.

Miguel Stilwell adianta que a campanha não tem qualquer objetivo definido para conseguir atrair os cerca de seis milhões de clientes de eletricidade e 1,3 milhões do gás natural para o mercado livre, referindo apenas que «dos 630 mil consumidores que já estão no mercado liberalizado, pelo menos 470 mil são clientes da EDP».

Os preços das tarifas reguladas do gás e da luz irão ser atualizados trimestralmente a partir de 1 de janeiro de 2013 e decorre dos compromissos assumidos pelo Governo junto da «troika» (Fundo Monetário Internacional, Comissão Europeia e Banco Central Europeu), com vista à liberalização do mercado do gás e da eletricidade, que tem como objetivo «obrigar» os consumidores a escolher um fornecedor em regime de mercado livre.

A campanha da EDP, chamada «Casa Total», vai até ao final do mês de setembro e pretende atingir os clientes mais urbanos, já que 80 por cento dos clientes de gás natural estão no litoral urbano do país.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 10:08 | comentar | favorito