Automóvel: crise vai despedir 80 mil

A crise e o aumento do preço do combustível pode forçar o encerramento de 10 fábricas automóveis na Europa Ocidental e causar 80 mil despedimentos, segundo um estudo da consultora Roland Berger, divulgado esta quintafeira, noticia a AFP.

A consultora argumenta com a baixa procura e os locais de produção a funcionarem abaixo da capacidade instalada, para prever o encerramento de entre cinco a dez fábricas.

Um dos membros da consultora, Max Blanchet, disse à agência noticiosa que, «exceção à Volkswagen e Ford, outros fabricantes estão a exibir taxas de produtividade insustentáveis nas suas unidades e o mercado não vai recuperar».

Blanchet referia-se aos fabricantes automóveis General Motors, Opel, PSA Peugeot Citroen, Renault e Fiat.

Citou a crise económica como um fator explicativo, mas acrescentou que a principal explicação estava «na tendência de baixa do número de quilómetros percorridos devido ao custo do combustível, pelo que as pessoas tendem a manter mais os seus carros».

Blanchet especificou que esperava que os encerramentos que prevê ocorram dentro de dois ou três anos.

O documento acrescenta que o segmento automóvel que mais está a sofrer é o da gama média, enquanto os de luxo baixaram as vendas, mas não na mesma extensão. Já os modelos mais baratos estão a assistir a um aumento de vendas desde 2007.

Em julho, o fabricante francês PSA Peugeot Citroen anunciou o encerramento da sua histórica fábrica em Aulnay, no Norte de Paris.

A alemã Opel e a italiana Fiat também já procederam a despedimentos ou a suspensão de produção, devido à redução da procura.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 11:10 | favorito