Aljubarrota: agora é a «independência» financeira

Depois de o Estado ter aprovado um plano de desenvolvimento e produção de petróleo na zona de Aljubarrota, a vila acordou com a esperança de um futuro diferente, para a região e para o país.

E há até quem diga que Aljubarrota vai entrar, mais uma vez, para a história de Portugal.

Há 5 áreas de perfuração na zona oesta, onde a empresa canadiana Mohave acredita que pode haver gás e petróelo. E o mais provável é que o ouro negro português corra nas veias da terra que é afinal orgão vital da Nação. Mas desta vez, a batalha do petróleo pode garantir alguma independência financeira.

A Mohave Gas and Oil, empresa canadiana de exploração de petróleo, assinou na segunda-feira com o Governo um plano de desenvolvimento para extração de «ouro negro» em Aljubarrota.

Esta foi a primeira vez que o Governo português aprovou um plano de desenvolvimento de exploração e extração da matéria-prima. E, embora ainda não haja certezas que o petróleo seja economicamente viável, a referência da Mohave é de uma probabilidade entre os 20% e os 30%, bem acima do intervalo de 10% a 15%, o mais comum.

Por isso, as expetativas são elevadas. O objetivo é extrair cerca de oito mil barris por dia, nos vários furos das sete concessões (cinco em terra e duas no mar) que serão agora exploradas pela Mohave em Aljubarrota e Alcobaça.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt

publicado por adm às 22:20 | comentar | favorito