Nem metade dos desempregados recebe subsídio

Nem metade dos desempregados recebe subsídio de desemprego. Em junho, eram apenas 43,5% do total a ter direito à prestação, segundo os dados que foram divulgados esta sexta-feira pela Segurança Social, por comparação aos últimos dados do desemprego do INE.

Na página da Segurança Social, percebemos que, em junho, existiam 356.549 beneficiários de prestações de desemprego. São menos 18.691 pessoas do que em maio, mas mais 70.778 do que em junho de 2011.

Mas, se olharmos para os dados do INE, notamos que logo no final do primeiro trimestre deste ano já existiam um total de 819,3 mil desempregados, o que fez elevar a taxa de desemprego para os 12,9%, o nível mais alto de sempre.

Próximo passo: cruzar os valores do INE com os dados da Segurança Social. Conclusão: 463 mil desempregados não recebiam, em junho, qualquer prestação de desemprego,pelo que apenas 43,5% tiveram direito.

Estes dados serão, no entanto, atualizados a 14 de agosto, data em que o INE prevê divulgar as estatísticas de emprego relativas ao segundo trimestre do ano, nota a Lusa.

Os números da Segurança Social incluem o subsídio de desemprego (cujo valor médio em junho foi de 531,35 euros), subsídio social de desemprego inicial (346,88 euros), subsídio social de desemprego subsequente (366,70 euros) e prolongamento do subsídio social de desemprego (335,41 euros).

Durante o mês de junho, foram deferidos 17.217 subsídios de desemprego. 

Maioria dos beneficiários é do Norte do país

Do total de beneficiários inscritos na Segurança Social com prestações de desemprego, 128.140 são da região Norte, com destaque para o distrito do Porto, onde foram atribuídos subsídios a 79.350 pessoas.

Lisboa e Vale do Tejo, por sua vez, tinha em junho 112.154 desempregados a receber prestações, dos quais 65.898 em Lisboa.

No Centro, a Segurança Social conferiu 65.981 beneficiários de subsídios de desemprego, com Aveiro a destacar-se, com 20.807 pessoas.

No Algarve, por sua vez, existiam 18.577 beneficiários a receber prestações de desemprego, enquanto no Alentejo foram contabilizadas 13.202 pessoas na mesma situação.

Na Madeira, o número de beneficiários de prestações de desemprego alcançou os 10.318, enquanto nos Açores foi de 6.921.

Os dados da Segurança Social indicam ainda que os homens entre os 55 e os 59 anos são o grupo que recebe mais prestações de desemprego (29.600).

Em termos totais os homens são os maiores beneficiários deste tipo de apoios (com 189.101 subsídios atribuídos até junho).

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:07 | comentar | favorito