Estado dá 454 milhões à fundação do Magalhães

A Fundação para as Comunicações Móveis (FCM), que geria o programa de atribuição dos computadores Magalhães, foi a entidade que mais apoios públicos recebeu entre 2008 e 2010, num total de 454,4 milhões de euros.

Este valor corresponde a mais de metade dos apoios atribuídos pelo Estado a fundações privadas já que na avaliação feita pelo Governo divulgada esta quinta-feira conclui-se que no triénio 2008-2010 foram concedidos apoios financeiros públicos de 1.034 milhões de euros, dos quais 217 milhões a fundações IPSS e 817 milhões de euros a não IPSS, como a FCM.

Criada a 11 de setembro de 2008, esta fundação de direito privado foi constituída pelos operadores de telecomunicações móveis Sonaecom, TMN e Vodafone Portugal, com um valor do património inicial de 24,9 milhões de euros.

Na avaliação realizada a 190 fundações hoje divulgada pelo Governo, a FCM tem uma nota de 66,5 pontos, numa escala de 0-100, e é uma das fundações que o Executivo já disse que iria encerrar.

«Vamos propor que a [FCM] encerre. Vamos propor o fim da Fundação», afirmou o secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, em setembro passado, quando falava na comissão parlamentar de Economia e Obras Públicas.

Esta é a fundação que teve a seu cargo o programa e-escolas e cujo objetivo é promover, desenvolver e consolidar o acesso às comunicações, em particular as móveis, com áreas de intervenção que preveem colaboração europeia e internacional, desenvolvimento social ou económico e educação.

A FCM foi reconhecida como fundação em outubro de 2010 pelo secretário de Estado da Presidência de Conselho de Ministros da altura.

Entre 2008 e 2010, a FCM contabilizou mais de três milhões de beneficiários.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 21:51 | comentar | favorito
tags: