Pavilhão Atlântico vendido a Luís Montez por 21,2 milhões

O Pavilhão Atlântico, em Lisboa, foi esta quinta-feira vendido a Luís Montez, sócio da produtora musical Música no Coração, empresa que produz os festivais Sudoeste e SBSR, por 21,2 milhões de euros. A decisão saiu do conselho de ministros que decorreu esta tarde.

Os novos proprietários do espaço situado no Parque das Nações, serão a Música no Coração, juntamente com a Ritmos & Blues e a atual equipa de gestão do Pavilhão Atlântico. 

As três empresas formam o consórcio Arena Atlantics que já tem garantido o apoio do BESI e os patrocínios da Portugal Telecom e da Super Bock. 

Para trás ficaram o consórcio de Álvaro Covões (Everything Is New), Cunha Vaz e CIP e a multinacional AEG.

Luís Montez é conhecido também por ter sido o criador da XFM, a rádio de música alternativa do grupo TSF. É casado com Patrícia Cavaco Silva, filha do Presidente da República, com quem tem quatro filhos.

O consórcio vencedor será o novo dono do Pavilhão Atlântico, tendo superado os dois rivais meramente por uma questão financeira.

«Todos deram as garantias necessárias do caderno de encargos de estabilidade da gestão do imóvel e da preservação da vocação do Pavilhão Atlântico enquanto espaço cultural, podendo também promover eventos instituicionais de grande dimensão», explicou a ministra do Ordenamento do Território Assunção Cristas em conferência de imprensa no final do conselho de ministros.

«O conselho de ministros decidiu finalizar o contrato com este consórcio porque foi o que apresentou a melhor oferta dos três: 21,2 milhões de euros, próximo do limite superior da avaliação realizada», disse Assunção Cristas, que acrescentou que esta avaliação fixou um intervalo entre os 17,4 milhões de euros e 21,5 milhões de euros.

A multinacional com sede nos Estados Unidos, a AEG, ofereceu 16,5 milhões de euros, enquanto o consórcio da Everything Is New, Cunha Vaz e CIP deu 18,5 milhões de euros pelo Pavilhão Atlântico.

Termina assim um processo de concurso público que, de acordo com Assunção Cristas, decorreu «com a maior transparência».

O Pavilhão Atlântico e a empresa Atlântico - Pavilhão Multiusos SA são detidos pela Parque Expo'98, cujo capital é detido em 99,4 por cento pelo Estado.

A venda abrange ainda a empresa de venda de bilhetes Blueticket, que é editada pela empresa Atlântico.

 

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt

publicado por adm às 23:31 | comentar | favorito
tags: