Mais pessoas com despesas mas menos dinheiro

O número de famílias que apresentou despesas de saúde na sua declaração de IRS aumentou em 2010, mas o valor indicado baixou 2,74%, traduzindo uma inversão na subida constantes que se verificou nos últimos anos.

Em 2010, cada família deduziu ao seu IRS uma média de 197 euros, por via dos gastos efetuados com exames médicos, consultas e medicamentos. No ano anterior, esta dedução tinha proporcionado um abatimento médio de 200 euros.

Em termos médios a diferença é pequena, mas os números agregados, disponibilizados pela Autoridade Tributária, mostram que os portugueses deduziram à sua coleta do IRS 641 milhões de euros, uma valor inferior em 18 milhões ao reportado um ano antes, mas foram mais os que indicaram gastos com saúde, ao subirem de 3281 mil para 3244 mil.

Já a dedução permitida pelo empréstimo ou renda da casa registou subidas tanto no valor reportado como no número de contribuintes que indicou este tipo de despesa. Em média cada família abateu ao seu IRS cerca de 515 euros (contra 518 mil em 2009).

Recorde-se que em 2012 (com efeitos nas declarações de IRS a entregar em 2013) o valor das deduções com a casa, saúde e educação passam a contar para um limite global, que não pode ser ultrapassado quando calculados todas as despesas.

Na educação e refletindo também a crise, desceu o número de família a reportar este tipo de encargo, ainda que o valor global (302 milhões de euros) tenham aumentado.

Os PPR tiveram em 2010 o último ano em que era possível beneficiar de pelo menos 300 euros, e os dados revelam que os 475 mil contribuintes que declararam este produto de poupança conseguiram reduzir o seu imposto em cerca de 216 euros.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/E

publicado por adm às 21:25 | comentar | favorito