Subsídio de férias: empresas estão a adiar pagamentos

A crise está a obrigar muitas empresas em dificuldades a negociarem com os seus trabalhadores o pagamento do subsídio de férias em prestações.

A garantia foi deixada ao «Jornal de Negócios» pelos presidentes da Confederação do Comércio (CCP) e da Confederação Empresarial (CIP). 

Assim sendo, um eventual novo imposto sobre os rendimentos do trabalho criaria problemas acrescidos de tesouraria, além de comprometer a estratégia de desvalorização salarial recomendada pela troika e pelo Executivo, defendem alguns empresários e economistas.

Tal, a avançar, «influenciaria negativamente a flexibilidade salarial», diz o presidente da CCP, João Vieira Lopes, que confessa: «Há empresas que estão a negociar com os trabalhadores pagar por tranches o 13º e 14º mês».

Mas, desengane-se quem pensa que adiar o pagamento do subsídio de férias é ilegal. O especialista em legislação laboral, Fausto Leite, disse ao mesmo jornal que o artigo 264º do Código do Trabalho prevê que o mesmo possa ser pago «interpoladamente».

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 22:26 | comentar | favorito