Austeridade "deve ser estendida aos outros cidadãos"

Pedro Passos Coelho admite o alargamento do corte dos subsídios de férias e Natal ao sector privado, após chumbo do TC.

"Entendo que esses sacrifícios não possam ficar confinados ao sector público. Devem ser estendidos aos outros cidadãos. (...) Temos de alargar aos outros portugueses que não sejam funcionários públicos nem pensionistas", revelou hoje o primeiro-ministro, admitindo assim a possibilidade de estender o corte dos subsídios de Natal e férias ao sector privado após o Tribunal Constitucional ter declarado que só vai permitir o corte dos subsídios de natal e férias apenas este ano.

Questionado sobre quais as medidas que irá tomar na sequência desta decisão, Pedro Passos Coelho afirmou que "ainda é muito cedo" e que irá estudar o documento do TC.

"Estudaremos agora o acordão. Depois do que observei, é que o TC aceita que não haja direitos adquiridos", afirmou, garantindo que o Governo irá apresentar o próximo Orçamento do Estado de 2013 tendo em conta o chumbo do TC.

O TC declarou hoje a inconstitucionalidade da suspensão do pagamento dos subsídios de férias ou de Natal a funcionários públicos ou aposentados, mas determinou que os efeitos desta decisão não tenham efeitos para este ano.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 08:20 | comentar | favorito