Compras em sites de descontos valem 20 milhões de euros

Sites querem conquistar consumidores que ainda não fazem compras online, mas 25% não deve sobreviver até 2013.

Onde compra um português, compram logo dois ou três. Se era assim no final de 2011, com as vendas dos sites de compras colectivas a crescerem 25% de mês para mês, hoje a realidade é diferente. O mercado está mais maduro, com o crescimento a ficar abaixo dos 10% e vários sites não subsistem. Com perto de 40 operadores, o sector deverá fechar 2012 com uma facturação de 20 milhões de euros em Portugal, estima Gonçalo Poças, responsável pela plataforma "Forretas.com", que agrega as promoções de 28 sites.

Depois do ‘boom' de novos operadores, o mercado abrandou e o director-geral do agregador acredita que, até 2013, ficarão pelo caminho um quarto dos sites que existem actualmente. Gonçalo Poças sublinha, porém, que devido à facilidade de entrada neste negócio "há uma grande taxa de renovação".

Francisco Costa, patner da Odisseias, marca que começou no mercado dos presentes experiência, garante que "o segredo deste negócio é o investimento em publicidade online" e não tem dúvidas de que vão desaparecer os sites que "não têm um projecto sustentado", antecipando a sobrevivência de apenas três. [CORTE_EDIMPRESSA]

O modelo de compras colectivas ‘online' surgiu com ofertas diárias de restauração e estética, mais tarde evoluiu para as viagens e produtos que têm um circuito comercial diferente. Hoje, há novos sites a posicionarem-se no segmento da moda. Gonçalo Poças acredita que estas plataformas ainda têm a possibilidade de captar mais receitas e aumentar as margens se abrirem novas categorias de produto. Até lá, é preciso "captar muitos portugueses que têm algumas barreiras na compra online", o que poderá acontecer à medida que os sites começam a disponibilizar formas de pagamento com menos risco.

As viagens são, nesta altura, o ‘best seller' do mercado. Ricardo Mesquita, country manager da LetsBonus diz que as vendas do site têm crescido em todas as áreas de negócio, mas assegura que o negócio das viagens vive "o seu melhor momento" e contribuiu para fazer do último mês de Maio o melhor desde que a empresa entrou em Portugal. "Trouxemos mais de mil turistas espanhóis para destinos nacionais", exemplifica o responsável.
A LetsBonnus (detida pela rede Living Social) é uma marca espanhola que, além da Península Ibérica, está presente Itália, Argentina, Chile, Colômbia e Uruguai. Com um milhão de utilizadores registados, Portugal é já o quarto mercado para a empresa em termos globais.

A Planeo, plataforma do grupo Media Capital presente em Portugal há um ano, lançou recentemente o pacote "Especial Algarve", vocacionado para as ofertas turísticas, com descontos até 70%.Feliciano Grosso, director da Media Capital Digital, revela ainda que estão a preparar a "abertura de novas áreas de negócio" no portal que, actualmente, tem 250 mil utilizadores registados.

Mercados internacionais, como o brasileiro, começaram a registar uma quebra acentuada das compras colectivas, o que levou os operadores a procurarem soluções alternativas de negócio como a colocação de publicidade nos seus sites. Em Portugal, todos os sites contactados pelo Diário Económico dizem não haver motivos para alterar as suas estratégias.

fonte:http://economico.sapo.pt/no

publicado por adm às 08:23 | favorito