Isentos de taxas moderadoras são menos do que Governo previa

O número de portugueses isentos por insuficiência económica aumenta a conta-gotas e está ainda muito longe dos cinco milhões e 200 mil previstos pelo Governo. Os últimos dados da Administração Central do Sistema de Saúde avançados à Renascença mostram que são pouco mais de metade.

O Ministério da Saúde recorda que a isenção pode ser pedida a qualquer momento, mas a verdade é que, desde o início do ano até dia 4 de Junho, só foi concedida a dois milhões e 800 mil portugueses.

Mas nem só de carência económica são feitas as isenções das taxas moderadoras. O número de doentes crónicos isentos mantém-se inalterado, mas nos bombeiros e dadores de sangue são menos do que no final do ano passado – ou seja, antes do novo regime.

A explicação oficial é que muitos foram transferidos para a categoria de isentos por carência económica.

A portaria que dá isenção aos desempregados continua por publicar e, portanto, continuam a pagar taxas moderadoras.

Ou seja, no total, o Executivo previa isentar sete milhões e 200 mil portugueses, mas os últimos dados mostram que, nesta altura, há cinco milhões e 300 utentes isentos.

A partir de Julho, avança a cobrança coerciva das taxas moderadoras que ficaram por pagar nos serviços de saúde nos últimos três anos, incluindo aos utentes que não pagaram este ano por acharem que estariam isentos e afinal não estão.

Até lá, o pagamento é voluntário.

fonte:http://rr.sapo.pt/inf

publicado por adm às 08:25 | comentar | favorito