Mais de metade dos desempregados não recebe subsídio

Mais de metade dos desempregados em Portugal não recebe subsídio de desemprego. Pelas contas da Segurança Social há 360 mil pessoas receber prestações de desemprego. Mas, segundo o Instituto Nacional de Estatística, há mais de 819 mil pessoas sem trabalho no país. 

O mesmo é dizer que apenas 44,3% do número total de desempregados estão a receber este apoio do Estado.

Os últimos dados disponibilizados na página da Internet da Segurança Social mostram que, em abril, existiam ao certo 362.585 beneficiários de prestações de desemprego.

São mais 3.212 pessoas do que em março, mas os subsídios estão longe de abranger toda a população que está sem trabalho.

Face a abril 2011, o número de beneficiários é superior em 69.330 pessoas, nota a Lusa. 

Com a taxa de desemprego no nível mais alto de sempre - chegou aos 15,2% em abril - o ministro das Finanças acabou por rever em alta as estimativas para todo o ano (de 14,5% para 15,5%) e também para 2013 (de 14,1% para 16%). 

Atente-se que os números da Segurança Social incluem o subsídio de desemprego (cujo valor médio em abril foi de 532,22 euros), o subsídio social de desemprego inicial (331,02 euros), o subsídio social de desemprego subsequente (349,39 euros) e o prolongamento do subsídio social de desemprego (310,11 euros), sendo que, durante o mês de abril, foram deferidos 17.760 subsídios.

As regiões mais críticas

O Norte do país espelha bem a realidade do mercado de trabalho português, com 129.810 pessoas sem trabalho. No distrito do Porto, foram atribuídos subsídios a 80.051 pessoas.

A região de Lisboa e Vale do Tejo tinha em abril 112.009 desempregados a receber prestações, dos quais 65.792 em Lisboa e 30.333 em Setúbal.

No Centro, a Segurança Social atribuiu subsídios de desemprego a 67.859 pessoas, com Aveiro a destacar-se (21.814 beneficiários).

Já no Algarve existiam 21.400 beneficiários a receber prestações de desemprego em abril, enquanto no Alentejo foram contabilizadas 14.243 pessoas na mesma situação.

Na Madeira, o número de beneficiários de prestações de desemprego alcançou os 10.031, enquanto nos Açores foi de 7.233.

São os homens entre os 55 e os 59 anos o grupo que recebe mais prestações de desemprego (29.768). São os homens, aliás, que, em termos totais, são os maiores beneficiários deste tipo de apoios: 191.110 subsídios atribuídos até abril.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:09 | comentar | favorito