Produtores confirmam pressão do Pingo Doce

As campanhas do Pingo Doce continuam a causar polémica. Os produtores de carne confirmaram à TVI que estão a haver pressões para renegociar os contratos existentes, a fim de obter comparticipações para pagar as campanhas promocionais que os supermercados têm feito e aumentar as margens de lucro entre 2 a 3,5 por cento, adiantando mesmo que estas exigências já não são de agora e que foram feitas por alguns hipermercados, entre estes, o Pingo Doce.

Também o presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Produtos de Marca (Centro marca) já tinha dito à TSF, esta manhã de sexta-feira, que a cadeia de supermercados do grupo Jerónimo Martins contactou, nas últimas semanas, muitos produtores nesse sentido. 

Mas, não foram os únicos. Também o presidente da Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios (ANIL), Pedro Pimentel, confirmou à agência Lusa que a associação já foi contactada por algumas empresas do setor láteo, que afirmaram que o Pingo Doce quer negociar condições adicionais ao que já está contratualizado.

O dirigente da ANIL disse que esta «contribuição adicional» não configura para já nenhum ilícito, pois decorre de uma processo de negociação entre as partes, mas avisa que se daí resultarem consequências negativas para as empresas (como por exemplo, retirar o produto por falta de acordo), a associação poderá tomar medidas.

E acrescentou que «há uma discrepância entre o discurso público, segundo o qual as campanhas não iriam afetar os fornecedores e que está a acontecer agora»

O Pingo Doce mantém a mesma posição desta manhã: continua sem comentar através da comunicação social «as relações comerciais com os seus parceiros de negócios».

Também contactado pela TVI foi o presidente da Centro Marca que não se mostrou disponível.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:10 | comentar | favorito