FMI admite "saída ordenada" da Grécia da zona euro

A directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, referiu hoje, em Paris, a possibilidade de uma "saída ordenada" da Grécia da zona euro, em entrevista à televisão France 24.

"Se os compromissos não forem cumpridos, há revisões apropriadas a fazer e isso significa tanto financiamentos suplementares e tempo suplementar como mecanismos de saída, que devem ser ordenados, nesse caso", afirmou. 

"É uma coisa que será extraordinariamente dispendiosa e que iria apresentar grandes riscos, mas faz parte das opções para que estamos obrigados a olhar tecnicamente", acrescentou a responsável.

O dirigente socialista grego, Evangelos Venizelos, anunciou hoje que a Grécia deverá voltar às urnas para as eleições legislativas, em princípio, dentro de um mês, devido à falta de acordo entre os dirigentes dos partidos políticos para formar um governo de coligação.

"Eles fizeram reformas importantes, fizeram uma série de sacrifícios. Hoje, este desacordo político profundo é realmente muito lamentável para o povo grego", disse Christine Lagarde.

"Espero que seja encontrada uma solução de compromisso que permita avançar no que se refere a um programa que certamente estaremos abertos a examinar à margem, não nos termos fundamentais", afirmou a directora-geral do FMI, acrescentando que "nos fundamentais, infelizmente não há 36 soluções".

"É uma coisa que cabe aos gregos, por um lado, e aos parceiros da zona euro, por outro, decidir em conjunto", reiterou.

Em Março, o Fundo acordou com a Grécia um novo empréstimo de 28 mil milhões de euros, depois de em Maio de 2010 já ter atribuído um primeiro resgate a Atenas, de 30.000 milhões.

fonte:http://economico.sapo.pt/n

 

publicado por adm às 23:22 | comentar | favorito
tags: