Passos vaiado na Feira do Livro

O primeiro-ministro ouviu alguns protestos durante uma visita à Feira do Livro de Lisboa, que hoje termina.

Tempo fosco, um primeiro-ministro "inspirado" pelo regime de Singapura que acabou por sair sob vaias e um sucesso comercial declarado por editores e livreiros marcaram hoje o último dia da Feira do Livro de Lisboa.

Ao chegar à feira, Pedro Passos Coelho, que guardou para o último dia uma visita ao certame, foi dizendo que o último livro que o marcou foi "o do presidente de Singapura", que demonstra "a transformação" que o país fez nos últimos anos.

"Inspirador, embora Singapura seja evidentemente um regime autocrático, o que não é exactamente o que nós desejamos para Portugal", declarou Pedro Passos Coelho, para quem "os livros fazem parte dos hábitos de leitura e de compra".

Recusando responder a mais perguntas por considerar que não era local próprio para "conferências de imprensa", Passos Coelho seguiu rua acima, antes de mais à frente ser vaiado por alguns manifestantes do movimento Primavera Global, acampados no Parque Eduardo VII, um momento capturado por algumas câmaras de televisão.

 

 

fonte:http://economico.sapo.pt

publicado por adm às 19:57 | comentar | favorito