Portagens: Brisa arrecada 113 milhões em três meses

A Brisa arrecadou 113 milhões de euros com a cobrança de portagens nos primeiros três meses do ano. Um valor que representa uma quebra de 9 por cento face ao mesmo período de 2011, informa a empresa ao regulador do mercado.

Contas feitas, a Brisa encerrou o primeiro trimestre com um lucro de 10,4 milhões de euros, menos 59 por cento face
ao ano anterior.

Este resultado «foi influenciado pelas receitas de portagem e pelos custos financeiros», explica a empresa no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. 

As receitas operacionais consolidadas caíram 8,2%, totalizando 134,7 milhões de euros, ao passo que o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) recuou 9,3%, situando-se nos 92 milhões de euros.

«Em consequência da difícil conjuntura económica e da pressão dos preços dos combustíveis, o tráfego continuou com a mesma tendência de decréscimo de volume dos últimos trimestres», justifica a Brisa.

O tráfego da concessão Brisa (BCR) caiu 13,1 por cento, tendo as concessões Brisal e Atlântico registado quedas de 11,6 por cento e 8,8 por cento, respetivamente. Nos Estados Unidos, a concessão NWP registou, por seu turno, um aumento de tráfego de 4,2 por cento. 

Os custos operacionais consolidados, excluindo amortizações, depreciações e provisões, diminuíram 5,6% para 42,7 milhões, ligeiramente acima dos 45,2 milhões reportados no mesmo período de 2011.

Nos primeiros três meses deste ano, o investimento consolidado foi de 10,4 milhões de euros, menos 47%.

No final de março, a dívida total consolidada ascendeu a 4.213 milhões de euros, registando um decréscimo de 6,1 por cento (273 milhões de euros), face aos 4.486 milhões de euros registados em dezembro de 2011.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 20:43 | comentar | favorito
tags: