Feriados: igreja diz que escolher qual eliminar é «muito difícil»

O bispo do Porto, Manuel Clemente, considerou este sábado ser muito difícil a decisão sobre a eliminação dos feriados religiosos, em particular entre o 15 de agosto e o 1 de novembro.

Manuel Clemente, que falava antes de participar na conferência Estados d¿Alma sobre a obra de Gil Vicente no Teatro Nacional S. João, ressalvou que a decisão não passa por si, mas por um acordo entre o Estado português e o Vaticano.

«É muito difícil decidir porque todos eles têm as suas razões e têm os seus adeptos e justamente os têm», disse o bispo, lembrando que o 15 de agosto, dia da Assunção, é uma «festa muito importante em muitas terras de Portugal», que conta com a participação dos emigrantes que regressam a casa durante o verão.

Por outro lado, o dia 01 de novembro, de Todos os Santos, também o é, considerou Manuel Clemente, «não tanto pelos santos, mas porque no dia seguinte é o dia dos defuntos e as pessoas têm muitas tradições ligadas aos seus defuntos nesse dia».

Desta forma, o clérigo sublinhou que a decisão é «muito difícil» porque «ambos têm razões prós e contras», ou, por outro lado, «contras não têm nenhuns».

No ano passado, o Governo decidiu reduzir os feriados nacionais e impôs como regra o fim de dois religiosos e dois civis. Os bispos portugueses apresentaram como propostas a abolição do feriado do dia do Corpo de Deus e do dia da Assunção, a 15 de agosto.

Mas o fim de dois feriados religiosos ainda está a ser avaliado pelo Vaticano que, segundo o jornal Público, prefere abdicar do 1 de novembro em vez do 15 de agosto, que tinha sido apresentado pelos bispos portugueses.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 21:14 | comentar | favorito