20 famílias portuguesas faliram por dia em 2011

Em 2011, e de acordo com os dados do Instituto Informador Comercial, foram 7316 as pessoas que recorreram ao tribunal para ‘abrir’ falência, comparativamente às 4535 empresas. 
Mais de duas mil famílias eram do Porto, ou seja, três em cada dez.

Estes são os casos em que, sem bens penhoráveis, as pessoas se veem obrigadas a declarar insolvência e os executados passam a constar da Lista Pública de Execuções. Os dados do Ministério da Justiça indicam que, no total, existem atualmente mais de novo mil pessoas nesta situação.

No site há quem deva milhares, mas também quem não conseguiu pagar quantias que não chegam a 300 euros. A Deco tem um Gabinete de Apoio ao Sobreendividado, nas várias delegações, desde 2000. Nesse ano ajudou 152 famílias. Em 2011, foram mais de 4.200. Em janeiro já havia 451 pedidos.

 

CONSELHOS DA DECO:

Avalie 
› O total das suas dívidas não deve ultrapassar 35% do rendimento mensal líquido. Evite o sobreendividamento.


Vá pagando 
› Sempre que o orçamento familiar permitir, amortize, mesmo que parcialmente, o crédito. Paga menos juros.


Habitação
› Acautele uma eventual subida das taxas de juro. Some entre 1 e 4% à taxa anunciada e veja se é suportável.

Cartões 
› Pague as despesas na totalidade, recorrendo ao período de crédito sem juros.Se tiver de usar o crédito, a conta-ordenado é mais barata.


Crédito
› Se o banco lhe enviar um cartão de crédito para casa sem o ter pedido, não o use sem ter a certeza que as condições são vantajosas.

Alarme
› Se o esforço para pagar as mensalidades já é muito grande ou tem alguma em atraso não demore a reagir. Proponha pagar faseado.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 11:16 | comentar | favorito
tags: