Substituir trabalhadores mais velhos por mais jovens pode ajudar turismo

O presidente da Confederação do Turismo de Portugal (CTP) defendeu hoje que a substituição dos trabalhadores mais velhos por outros mais jovens pode aumentar a competitividade das empresas do sector.

"No caso do turismo, podemos fazer a renovação de pessoas mais velhas por outras mais jovens, com mais formação, o que traz vantagens porque os mais jovens fazem mais rápido e melhor, tornando as empresas mais competitivas", disse José Carlos Pinto Coelho aos jornalistas, à saída de uma reunião com o ministro Miguel Relvas.

O ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, que está a coordenar a Comissão Interministerial de Criação de Emprego e Formação Jovem, chamou hoje os parceiros sociais para receber propostas que dinamizem o emprego jovem em Portugal.

O presidente da CTP considerou "que não existem soluções milagrosas" e que "é cada vez mais difícil empregar pessoas", mas que o turismo ainda é um sector com capacidade de crescimento.

"É necessário dar os meios necessários às empresas para formarem e darem emprego", defendeu ainda, referindo por isso a necessidade de facilitar o acesso ao crédito por parte da indústria do sector.

A CTP assumiu o compromisso de enviar ao Governo, até quarta-feira, ou quinta-feira, as propostas destinadas a fomentar o emprego jovem.

A Comissão Interministerial integra 12 secretários de Estado, entre os quais o do Emprego, o da Administração Pública e o dos Assuntos Europeus. De acordo com um comunicado do gabinete do ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, o Governo "compromete-se a apresentar medidas concretas para combater o desemprego jovem".

Portugal receberá nas próximas semanas a visita de uma "equipa de ação" da Comissão Europeia destinada a estudar a forma de utilizar fundos comunitários para reduzir o desemprego jovem.

Esta iniciativa foi lançada pelo presidente da Comissão, José Manuel Durão Barroso, durante o Conselho Europeu de Janeiro, e visa reduzir o desemprego jovem nos oito países da União com taxas mais elevadas.

Na definição europeia da taxa de desemprego jovem, Grécia e Espanha têm as taxas mais altas, quase nos 50 por cento, e Portugal é o terceiro país com mais jovens desempregados, acima dos 35 por cento.

A Comissão liderada por Miguel Relvas deverá "enquadrar as políticas de juventude de uma forma global e articulada", agilizar os mecanismos de apoio às PME, ao nível de fundos da União Europeia, de modo a "aumentar as oportunidades de emprego para os jovens".

fonte:http://economico.sapo.pt/n

 

publicado por adm às 23:04 | comentar | favorito
tags: