Reorganização na TSF passa pela extinção de postos de trabalho

A TSF iniciou um processo de reorganização que passa pelo encerramento de delegações e extinção de postos de trabalho, disseram à Lusa dois jornalistas da estação.

No entanto, o director da TSF apenas revela que tem em curso uma reorganização financeira. "A TSF tem em curso uma reorganização financeira que será comunicada a toda a redacção até final da semana", afirmou Paulo Baldaia, escusando-se a adiantar mais informação.

Já os jornalistas da TSF em Évora e em Faro confirmaram à Lusa que essa reorganização vai implicar o encerramento das duas delegações, tendo-lhes sido anunciada hoje a extinção dos postos de trabalho nestes locais, por questões de ordem orçamental.

Segundo o jornalista da TSF em Évora, Carlos Júlio, a direcção já estaria a contactar jornalistas e técnicos de forma individual, o que significou que as diferentes pessoas desconheciam a situação umas das outras, envolvendo ainda pessoas da redacção de Lisboa.

Carlos Júlio, na TSF desde 1990, considera "curiosa" a decisão, tendo este recebido o prémio Gazeta de Rádio no ano passado, dado pelo Clube de Jornalistas, com a reportagem "A terra a quem a trabalha".

Por seu lado, a jornalista da TSF em Faro, Maria Augusta Casaca, confirmou apenas o encerramento da delegação, sem querer adiantar mais informações, numa cidade onde a rádio já partilhava espaço com o Diário de Notícias, também do grupo Controlinveste, e utilizava a mesma viatura de serviço.

Maria Augusta Casaca foi a vencedora do prémio de jornalismo Direitos Humanos & Integração em 2010, na categoria de rádio, com o trabalho "O silêncio dos dias", tendo também ganho o primeiro prémio de jornalismo da Associação Nacional de Municípios Portugueses em 
2007.

A Lusa tentou contactar a administração da estação, mas tal não foi possível em tempo útil.

 

 

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 23:03 | comentar | favorito