Empresas optam por dar benefícios

Os empresários portugueses assumem que este ano não vão aumentar os seus funcionários.

A difícil conjuntura económica que o País atravessa, e por conseguinte as empresas, a isso obriga. Porém, o leque de empresários ouvido pelo Diário Económico diz que tentou arranjar formas alternativas de compensar os trabalhadores.

Para José Teixeira, presidente do grupo DST, "vamos dar aumentos de 5% a pessoas com salários inferiores a 600 euros, o que no nosso caso é uma excepção uma vez que o nosso salário médio é de mil euros". Também o subsídio de alimentação que até agora era de 7,5 euros vai aumentar "em meio euro ou seja passa para os 8 euros e este aumento é para todos os funcionários".

Uma política seguida também na Frulact. João Miranda, presidente da empresa adianta que "aumentamos o subsídio de alimentação para os 6,5 euros e fizemos também um seguro de saúde para todos os nossos funcionários". A par disso a Frulact premiou também o mérito dos funcionários, pelo que "atribuímos alguns aumentos porque achamos que os bons funcionários têm que ser premiados". 

 

fonte:http://economico.sapo.pt/n

publicado por adm às 23:03 | comentar | favorito