Casas para arrendar: mais oferta que procura

A Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP) alertou esta quarta-feira que o mercado do arrendamento está desequilibrado, salientando que onde há oferta de casas para arrendar e não há procura.

Numa nota, a APEMIP afirma que, «em nome do rigor, é preciso contrariar o injustificado optimismo daqueles que falam na existência de mais de cem mil fogos na oferta imobiliária para o mercado residencial de arrendamento urbano», porque «há oferta onde não há procura e procura onde não há oferta».

A associação exemplifica que os mais de cem mil fogos apontados «contabilizam toda a oferta» dos distritos de Bragança ou de Portalegre, «onde a procura é tão escassa que não chega a poder contabilizar-se percentualmente».

«Como as casas não podem deslocalizar-se para onde a procura pressiona mais, seria necessário inverter a tendência das movimentações demográficas em Portugal, que continua a ser do interior para o litoral, ou seja, das regiões onde há oferta, mas não há procura, para as regiões onde há procura, mas não há oferta», salienta a APEMIP.

Assim, segundo a APEMIP, a realidade do mercado, com base nos Censos de 2011, é a de que os números da oferta do arrendamento residencial é superior - e em alguns casos muito superior - à procura em dezassete dos vinte distritos e regiões autónomas do país.

«Só nos distritos de Aveiro, de Lisboa e do Porto é que se verifica o contrário», refere, destacando que os dados reais do mercado têm de ser tidos em conta para a criação com sucesso de uma verdadeira bolsa nacional de arrendamento residencial.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:37 | comentar | favorito
tags: