Crise faz disparar vendedores na Feira da Ladra

Há cada vez mais desempregados, trabalhadores precários e estudantes obrigados a vender na Feira da Ladra para conseguir pagar as contas. A procura obrigou a Câmara de Lisboa a suspender a atribuição de licenças.

Cada licença temporária custa seis euros para dois dias de feira. O negócio corre melhor agora, porque as pessoas também estão a comprar mais em segunda mão, por ser mais barato.

Os preços são verdadeiramente de saldo: casacos a dois euros e sapatos a cinco euros.

À Lusa, a Câmara de Lisboa reconhece que tem havido «um aumento bastante acentuado de jovens a vender na feira», mas acredita que não estará apenas associado a casos do desemprego.

Os feirantes mais antigos também comentam a presença da «mocidade», mas associam-na à crise. «Não têm emprego, mas têm contas para pagar. Para garantir que não ficam sem casa, vendem o recheio. Às tantas perdem tudo, até o tecto», lamenta José Oliveira, um dos 363 feirantes com direito a um lugar fixo.

Em Novembro, a autarquia suspendeu a atribuição de lugares fixos porque as vagas eram «muito reduzidas face à crescente procura» e era «necessário garantir lugares para as licenças ocasionais», explicou à Lusa fonte camarária.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 22:22 | comentar | favorito
tags: