Construção: sector pode perder 130 mil empregos

O Sindicato da Construção de Portugal alertou esta quinta-feira para a previsível perda de 130 mil empregos no sector até ao fim do ano, culpabilizando o Governo «pelos milhares de portugueses que vão ser escravos» na Europa.

«O primeiro-ministro e o ministro da Economia serão responsabilizados pela maior escravatura de sempre se não tiverem em atenção as nossas propostas», frisou Albano Ribeiro, presidente do sindicato, em conferência de imprensa. 

As propostas da estrutura sindical para evitar a perda de 130 mil trabalhadores no sector passam pelo investimento na requalificação de redes de saneamento básico, estradas secundárias e requalificação habitacional.

De acordo com Albano Ribeiro, estas apostas permitiriam criar 30 mil, 40 mil e 60 mil postos de trabalho, respectivamente.

O sindicato, que em Dezembro apontava a perda de mais 60 mil empregos na construção em 2012, estima agora um aumento de mais de 50 por cento no número de desempregados, indicando uma perda «de 130 mil trabalhadores» até ao fim do ano.

Albano Ribeiro lembra que, em 2010, o sector tinha 770 mil trabalhadores, que em 2011 perdeu 90 mil e que o ritmo tende «a aumentar porque a construção de muitas infra-estruturas está a terminar», levando «muitos trabalhadores para fora do país».

Desde 2008, o sector perdeu «7300 empresas», a um ritmo de «10 empresas e 360 trabalhadores por dia».

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/e

publicado por adm às 22:31 | comentar | favorito
tags: