Transportes: greve vai custar 150 milhões

O secretário de Estado dos Transportes alegou esta quarta-feira que a greve dos transportes convocada para quinta-feira vai custar 150 milhões de euros à economia portuguesa e destruir num dia o esforço de poupança feito num ano.

Numa declaração política no Parlamento, Sérgio Monteiro disse também que as empresas de transportes públicos tiveram prejuízos superiores a 30 milhões de euros com o conjunto de greves de 2011 e quis deixar «uma palavra» a todos aqueles que «verão a sua mobilidade condicionada» pela greve desta quinta-feira.

«As greves põem em causa o serviço público e colocam-nos mais longe do objectivo para o sector e para o país e obrigam-nos a todos a mais sacrifícios», considerou o secretário de Estado dos Transportes, rejeitando que os protestos que se têm realizado por todo o país representem a opinião da generalidade da população e associando a sua promoção a «alguns partidos» da oposição.

«Os protestos por todo o país, eu não os sinto. E não os sinto porquê? Porque eles não representem a opinião da generalidade da população, representam a opinião de alguns, através das comissões de utentes, que não são mais que do que extensões de alguns dos partidos que hoje aqui mais vociferaram contra a política do Governo», afirmou Sérgio Monteiro, citado pela Lusa, depois de ter ouvido duras críticas da parte do PCP, BE e PEV.

Questionado pelo deputado do PSD Luís Menezes, que quis saber o custo da greve de quinta-feira, o secretário de Estado dos Transportes respondeu que esta vai ter «um impacto nas empresas públicas que é igual à poupança que o Estado vai fazer ao reduzir o número de administradores» dessas empresas.

«Aqueles que tão correctamente protestam para que o Governo seja rigoroso no número de administradores, nas suas regalias, nas suas remunerações, com um dia de greve matam o esforço que o Governo tem num ano ao racionalizar o custo dos gestores públicos», lamentou.

Aplaudido pelas bancadas da maioria PSD/CDS-PP, Sérgio Monteiro acrescentou que «a economia sofre um impacto de 150 milhões de euros» com a greve de quinta-feira, «porque a mobilidade não está assegurada, porque o absentismo aumenta».

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 22:35 | comentar | favorito